BATALHA DE VIMEIRO

Batalha do Vimeiro

 Resultado de imagem para grupo de danças batalha de vimeiro


Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Batalha do Vimeiro
Parte da(o) Guerra Peninsular no âmbito das Guerras Napoleónicas
Arthur Wellesley1808, by Richard Cosway.jpg
Retrato de Sir Arthur Wellesley, datado de 1808, por Richard Cosway (1742-1821). Aguarela sobre marfim.
Data 21 de Agosto de 1808
Local Vimeiro e Ventosa, Portugal
Desfecho Vitória anglo-lusa.
Combatentes
Flag of France.svg Primeiro Império Francês Flag of the United Kingdom.svg Reino Unido
Flag of Portugal (1707).svg Reino de Portugal
Principais líderes
General Jean-Andoche Junot Tenente-general Arthur Wellesley
Forças
13 500
23 bocas de fogo
18 778
18 bocas de fogo
Vítimas
1400 mortos e feridos e 400 prisioneiros,
13 bocas de fogo capturadas.
135 mortos, 534 feridos
51 extraviados.

A Batalha do Vimeiro foi travada no dia 21 de agosto de 1808, durante a primeira invasão francesa de Portugal, no âmbito da Guerra Peninsular (1807 – 1814). Nesta batalha defrontaram-se as forças anglo-lusas comandadas pelo tenente-general Sir Arthur Wellesley e as forças francesas comandadas pelo general Jean-Andoche Junot. A batalha resultou numa vitória para as forças anglo-lusas e determinou o fim da primeira invasão francesa de Portugal.

Antecedentes

O Exército de Observação da Gironda atravessou a Espanha e entrou em Portugal no dia 17 de Novembro de 1807, acompanhado por três divisões espanholas. No dia 30 daquele mês, pelas 09h30, Junot entrava em Lisboa com cerca de 1500 homens, esgotados da violenta marcha que acabavam de fazer. O grosso do exército chegou nos dias seguintes em condições igualmente deploráveis. Não só não houve resistência à invasão como também houve a preocupação das autoridades, seguindo as diretivas reais, não hostilizarem o invasor.
Junot estava a trabalhar para Napoleão Bonaparte (Imperador de França).
Quando eclodiu a revolta em Espanha (2 de Maio de 1808), a posição de Junot tornou-se difícil de sustentar, porque nas tropas espanholas que o tinham acompanhado surgiam indícios de simpatia pela revolta. Em Junho e Julho de 1808, as revoltas surgiram também em Portugal. Elas levaram à decisão de enviar um contingente britânico. Após terem sido coordenados os apoios necessários com a Junta Provisional do Governo Supremo do Reino, que se formara no Porto, uma força expedicionária britânica iniciou o seu desembarque em Lavos, a sul da Figueira da Foz, no dia 1 de agosto. O comando da força era da responsabilidade do tenente-general Sir Arthur Wellesley. Das forças de Bernardim Freire de Andrade, que comandava um corpo de tropas portuguesas vindo do norte em direção à Península de Lisboa, juntaram-se aos britânicos 2592 homens, que formaram o Destacamento Português, sob o comando do tenente-coronel Nicholas Trant.
Informado do desembarque, Junot enviou o general Delaborde, no dia 6 de agosto, com uma força relativamente pequena, com a missão de observar e, se possível, impedir o avanço inimigo. Em consequência, travou-se o Combate da Roliça, no dia 17 de agosto, a sul de Óbidos. Os aliados obrigaram os franceses a retirar, mas estes cumpriram a sua missão, pois deram a Junot o tempo necessário para organizar as suas unidades.
Após o Combate da Roliça, Wellesley dirigiu as suas forças para a região do Vimeiro, com a finalidade de proteger o desembarque das brigadas comandadas pelos brigadeiros-generais Anstruther e Acland. No dia 19, ele tinha ocupado as posições à volta daquela povoação. A 7.ª Brigada tinha desembarcado no dia 19, mas a 8.ª Brigada, no dia 21, só tinha desembarcado metade das tropas. Junot tinha as suas forças concentradas em Torres Vedras. No dia 20, ao fim da tarde, ele dirigiu-se ao encontro das forças anglo-lusas. Pela meia noite, já se ouvia o rumor provocado pelos carros e cavalos, no Vimeiro.

O campo de batalha

A povoação do Vimeiro situa-se na margem direita do Rio Alcabrichel, a 14 km a noroeste de Torres Vedras no distrito de Lisboa e a 8 km a sul da Lourinhã. No sudeste da povoação, existe uma colina que foi ocupada pelas brigadas de Anstruther e Fane. Hoje existe nessa colina um monumento comemorativo do centenário da batalha, mandado erguer pelo rei Dom Manuel II.
O Rio Alcabrichel corre de sul para norte; a seguir ao Vimeiro, curva em direção ao mar (oeste). O seu percurso, pouco antes de chegar ao Vimeiro, marca um vale com ladeiras íngremes na margem esquerda. Nesta, entre o Vimeiro e o mar, forma-se uma linha de alturas, de onde se pode dominar o vale do Maceira e as praias junto à sua foz.
A norte do Vimeiro, entre ravinas difíceis de transpor, situa-se uma oura linha de alturas, por onde se atinge, em estradas secundárias, Ventosa, Santa Bárbara, Casal Novo, Lourinhã. A primeira daquelas povoações marca a posição norte posteriormente ocupada pelas brigadas de Ferguson, Nightingale e Bowes.

As forças em presença

As forças anglo-lusas

O exército de Wellesley estava organizado em brigadas e apresentava um efetivo de 18 878 homens, dos quais 2100 eram portugueses. A sua estrutura era a seguinte:














SENTIDO DE ROTAÇÃO DA TERRA

Você sabia que o movimento de rotação da Terra é o movimento que esta executa   em torno de seu próprio  eixo, no sentido anti-horário, e que dura exatamente 23 horas 56 minutos 4 segundos e 9 centésimos para ser concluído, sendo o responsável pelos dias e  pelas noites ?




BRASIL EM BUSCA DO HEXA

Apesar  de contar com a sorte , pois os seus mais famosos rivais como Argentina, Espanha e Portugal já foram para casa, ainda assim não se pode tirar o mérito de uma seleção que no momento está entre as favoritas desta copa do mundo.  A seleção de Tite, tem um ótimo preparo físico e conta com alguns jogadores de grande categoria como Neymar, Philippe Coutinho, Marcelo, Gabriel Jesus, Thiago Silva, Paulinho, Cássio Silva, Willian e outros e além de tudo conta com um técnico competente e acima de tudo humilde.
Agora as únicas seleções que podem estragar a festa, a meu ver, são França, Uruguai e Inglaterra. A dona da casa, apesar de não contar com um futebol de alto nível, ainda assim merece ser respeitada pois  se defende muito bem e conta com o calor de sua torcida. Enfim, está tudo pronto para o Brasil trazer mais um caneco para a Av. Luís Carlos Prestes, 130 - Barra da Tijuca, Rio de Janeiro.
Um título que servirá para dar um pouco de orgulho e otimismo  a esse povo tão humilhado e desmerecido por suas elites dirigentes   ligadas ao capitalismo e que por ironia do destino ficará guardado num local que tem o nome de um comunista brasileiro chamado...Continue lendo...