...E ASSIM NASCEU CURITIBA




A Fundação de Curitiba...


...Já era fim de tarde do dia 18 de novembro de 1668. Estavam ali, próximo ao rio Ivo, serra acima, trinta "homens bons" e vários indígenas, dentre eles o cacique da tribo Tingui, chamado de Tindiquera. Entre os brancos estavam Baltazar C. dos Reis, Mateus Leme, o capitão das canoas do sul - Eleodoro Ebano Pereira e, na minha opinião, a figura mais importante e responsável por aquela reunião, Soares do Vale. Naquela noite, o cacique Tindiquera fincou o cajado na terra, indicando o local onde seria seguro construir a igreja para a Santa (Nossa Senhora da Luz). - Core-Atuba. (Core: pinhão; Atuba: região com muitas árvores frutíferas.) - Essas foram as palavras do índio.
A partir daquela noite, a Vila de Nossa Senhora da Luz e Bom Jesus dos Pinhais de Core-Atuba estava fundada.
A data da fundação da cidade de Curitiba mudou para 29 de março de 1693 quando em 1906 os historiadores entraram em consenso.

Agora vamos falar um pouco de alguns dos principais responsáveis pela fundação da cidade.

- Cacique Tindiquera: cacique da tribo Tingui, que vivia na região onde hoje está a cidade de Curitiba. Suas casas não eram ocas tradicionais, mas sim buracos na terra, pois a região era muito fria.

- Soares do Vale - fugiu da capitania de São Paulo por conta de um desentendimento com o governador da mesma. Foi parar às margens de um rio, numa região à qual os índios denominavam de Atuba. (muitas árvores frutíferas). Como os indios eram amigaveis, Soares do Vale, mandou recado para sua família e seus amigos virem ao seu encontro.

Vieram eles, então, trazendo uma estátua de madeira de uma Santa ( Nossa Senhora da Luz) da qual eram devotos.

Aqui chegando, estabeleceram-se às margens do rio Atuba e o local ficou conhecido como Villinha.

Queriam eles construir uma capela para a Santa. Para isso improvisaram então um altar. Mas, verificaram que a santa, milagrosamente, mudava de posição de um dia para o outro, como se quisesse apontar um outro lugar para a construção da capela.
Impressionados com o fato da santa mudar de posição, os moradores da Vilinha foram mudando de lugar, dia após dia, até que a santa finalmente parou de se mexer.

Estavam eles às margens do rio Ivo, onde exploradores e faiscadores já haviam descoberto ouro.
Mas, só tinha um problema. Grande parte daquela região ficava alagada quando das cheias dos rios (Ivo, Belém, etc...).

Perguntaram então para o cacique da tribo Tingui se havia algum local que não inundava com as cheias e pediram para que ele apontasse.

O cacique da tribo Tingui, no entardecer do dia 18 de novembro de 1668 apontou o local.
Este local era um antigo cemitério indígena e não alagava. Ali foi construída a capela para a Santa, que transformou-se na catedral de Curitiba e na Praça Tiradentes.

Essa, senhoras e senhores é uma das versões para a fundação da cidade de Curitiba, extraída de pesquisas realizadas em vários livros e na internet.

Então...
será que não tinha um outro nome... para homenagear e para dar o nome à praça que hoje se denomina Tiradentes?
Foi proposital, alienação ou falta de vontade mesmo ?
Um grande abraço e até a próxima.
Postado por Luiz Fernando Corcini

comentários:
Anônimo disse...
Eu acho que os internautas têm que valorizar a parte histórica do Paraná!!!tanto de Curitiba que é a cidade central do paraná quanto as outras cidades!!!



Curitiba
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.


Município de Curitiba

"Cidade Sorriso"
"Capital Ecológica do Brasil"
"Capital das Araucárias"

Aniversário: 29 de março
Fundação: 29 de março de 1693 (317 anos)
Gentílico: curitibano
Prefeito(a): Luciano Ducci (PSB) (2009–2012)

Localização de Curitiba no Brasil
25° 25' 47" S 49° 16' 19" O25° 25' 47" S 49° 16' 19" O
Unidade federativa: Paraná
Mesorregião: Metropolitana de Curitiba IBGE/2008
Microrregião: Curitiba IBGE/2008
Região metropolitana: Curitiba
Municípios limítrofes: Almirante Tamandaré, Colombo, Pinhais, São José dos Pinhais, Fazenda Rio Grande, Araucária, Campo Largo e Campo Magro.
Distância até a capital: 1 392 km

Características geográficas
Área: 434,967 km²
População: 1 851 215 hab. est. IBGE/2009
Densidade: 4 255,99 hab./km²
Altitude: 945 m
Clima: subtropical Cfb
Fuso horário: UTC-3

Indicadores
IDH: 0,856 (PR: 1º) – elevado PNUD/2000
PIB: R$ 37 791 140 mil (BR: 5º) – IBGE/2007
PIB per capita: R$ 21 025,00 IBGE/2007

Curitiba é um município brasileiro, capital do estado do Paraná, localizada a 945 metros de altitude no primeiro planalto paranaense, a aproximadamente 110 quilômetros do Oceano Atlântico. Em 2007, segundo a revista norte-americana Reader's Digest, era a cidade com melhor qualidade de vida do Brasil. É a sétima cidade mais populosa do Brasil e a maior do sul do país, com uma população de 1 851 215 habitantes. É a cidade principal da Região Metropolitana de Curitiba, formada por 26 municípios e que possui 3 172 357 habitantes sobre uma área de 15 447 km², o que a torna a oitava região metropolitana mais populosa do Brasil.

Fundada em 1693, a partir de um pequeno povoado bandeirante, Curitiba se tornou uma importante parada comercial com a abertura da estrada tropeira entre Sorocaba e Viamão. Em 1853 tornou-se a capital da recém-emancipada província do Paraná e desde então a cidade, conhecida pelas suas ruas largas, manteve um ritmo de crescimento urbano fortalecido pela chegada de uma grande quantidade de imigrantes europeus ao longo do século XIX, na maioria alemães, poloneses, ucranianos e italianos, que contribuíram para a diversidade cultural que permanece até hoje. A cidade experimentou diversos planos urbanísticos e legislações que visavam conter seu crescimento descontrolado e que a levaram a ficar famosa internacionalmente pelas suas inovações urbanísticas e o cuidado com o meio ambiente. A maior delas foi no transporte público, cujo sistema inspirou o TransMilenio, sistema de transporte de Bogotá, na Colômbia. Hoje, a cidade tem um senso de vida cosmopolita, é considerada a capital com melhor qualidade de vida do Brasil, com um polo industrial diversificado, que lhe dá o posto de quinta maior economia do Brasil, sendo considerada umas das cinco melhores cidades para se investir na América Latina.

Curitiba também tem altos índices de educação. Tem o menor índice de analfabetismo e a melhor qualidade na educação básica entre as capitais. O Índice Mastercard de Mercados Emergentes 2008, criado com a intenção de avaliar e comparar o desempenho das cidades em diferentes funções que interligam os mercados e o comércio no mundo inteiro, indicou Curitiba na 49ª colocação entre as cidades com maior influência global. Curitiba também foi citada em uma recente pesquisa publicada pela revista Forbes, como a 3º cidade mais "esperta" do mundo, que considera esperta a cidade que se preocupa, de forma conjunta, em ser ecologicamente sustentável, com qualidade de vida, boa infraestrutura e dinamismo econômico.

Etimologia
A hipótese mais popular para a origem do nome da cidade é a de que este derivaria da expressão indígena "curi'i ty(b) ba", que em língua guarani significa "muito pinhão".

Mais precisamente, "Curi'i", ou "coré" significa "pinheiro-do-paraná", ou talvez "pinhão" (a semente do pinheiro), "tib" vem do verbo existencial "i tib" e "ba" é um sufixo locativo, livremente traduzido para "lugar onde". Outra hipótese se refere à língua tupi, falada pelos colonizadores portugueses na época. Em tupi, coré seria algo como pinheiro, pinhão. E etuba é um sufixo que indica ajuntamento, portanto seria algo como "ajuntamento de pinheiros", ou conforme traduz Silveira Bueno, pinheiral.

A denominação pela qual são conhecidos os habitantes do município é curitibanos, denominação que já serviu de topônimo para um município do estado vizinho de Santa Catarina, isto é, o município de Curitibanos, fundado por antigos habitantes de Curitiba.

História

As primeiras movimentações, no território curitibano, se deram através de Paranaguá, via estrada de Cubatão, e ocorreram por conta de expedições de bandeiras, que vinham à cata de ouro. A primeira expedição oficial coordenadora dos serviços de exploração de minas de ouro nos Distritos do Sul (incluindo Curitiba) foi chefiada por Eleodoro Ébano Pereira. Os primeiros nomes que aparecem na história curitibana, depois de Ébano Pereira, são os de Balthazar Carrasco dos Reis e Matheus Martins Leme. No entanto, segundo o historiador Romário Martins, "...não foi esse o primeiro grupo povoador do planalto curitibano. Antes dele houve os que fundaram arraiais de mineradores mais ou menos estáveis na região aurífera atravessada pelos caminhos de Açungui e do Arraial Queimado (Bocaiuva do Sul)", a seguir Borda do Campo (Atuba) e Arraial Grande (São José dos Pinhais)".

Em 1668, Gabriel de Lara, o povoador, erigiu o pelourinho na povoação de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, assistido por um grupo de dezessete povoadores, iniciando-se a partir dessa data, de forma ininterrupta, a história oficial de Curitiba. Todavia, Gabriel de Lara não é considerado o fundador de Curitiba, sendo que alguns historiadores atribuem o fato a Eleodoro Ébano Pereira.

Há uma lenda a respeito da fundação de Curitiba, contada por diversos historiadores, à qual estão ligados os grupos de primitivos povoadores, representados pelas famílias Seixas, Soares e Andrade. Esses bandeirantes, em época incerta, teriam convidado o cacique dos Campos de Tindiquera, às margens do Rio Iguaçu, para que lhes indicasse o melhor local para a instalação definitiva da povoação. O cacique, à frente de um grupo de moradores, trazendo na mão uma grande vara, após andar muito percorrendo grande extensão de campos, fincou uma vara no chão e disse: "Aqui", e neste local foi erigida uma pequena capela, construída de pau-a-pique, no mesmo lugar onde se encontra a igreja matriz de Curitiba, sendo substituída por outra, feita de pedra e barro, que serviu a comunidade de 1714 a 1866, quando foi edificada a Catedral Metropolitana.

Em 29 de março de 1693, o povoado de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais de Curitiba foi elevado a categoria de Vila. Nessa época, segundo Romário Martins, além de Matheus Leme e Carrasco dos Reis, que moravam no Barigui, ainda habitavam uma vila "...o capitão Antonio Rodrigues Seixas, escrivão da vila em 1693, em Campo Magro; Manoel Soares e Aleixo Mendes Cabral, no Passaúna, João Rodrigues Cid, no Cajuru, Antonio Rodrugues Cid no Uberaba, etc." Não existe efetivamente uma data exata da fundação do núcleo Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, mais tarde Curitiba. Mas, se levarmos em consideradção os registros do dr. Raphael Pires Pardinho, Ouvidor-Geral da Vila, em 1721, admite-se o ano de 1661 como oficial.

Panorama de Curitiba, em gravura de Jean-Baptiste Debret, 1827.Curitiba passou a sede de comarca através de Alvará Imperial, em 19 de dezembro de 1812, e foi elevada à categoria de cidade pela Lei Provincial nº 05 de 5 de fevereiro de 1842. Pela Lei Imperial nº 704, de 29 de agosto de 1853, Curitiba foi elevada à categoria de capital da recém criada Província do Paraná. Foi uma luta árdua, a da emancipação política paranaense, nesta vitória muitos deixaram seu nome gravado nos anais da história. Em 1953 a Câmara Municipal de Curitiba funcionava próximo ao pátio da matriz. tendo a seguinte composição: Benedito Enéas de Paula, Fidélis da Silva Carrão, Manoel José da Silva Bittencourt, Floriano Berlintes de Castro, Francisco de Paula Guimarães, Inácio José de Moraes, Francisco Borges de Macedo, Antonio Ricardo Lustoza de Andrade, tendo na presidência o coronel Manoel Antonio Ferreira.

A partir do movimento imigratório desencadeado no Paraná em 1829, a cidade de Curitiba recebeu, por diversos flancos, levas de famílias, em diversas épocas e das mais diferentes nacionalidades, sendo inclusive alvo de imigração voluntária, o que influiu na sua formação social, cultural e econômica, com o passar dos anos. Em 1894, por causa da Revolução Federalista, Curitiba foi invadida e dominada por tropas revolucionárias, comandadas por Gumercindo Saraiva. Nessa época toda a cúpula governamental, liderada pelo governador em exercício, dr. Vicente Machado, abandonou a capital, refugiando-se em Castro, só retornando a Curitiba após o fim do cerco.

Vista geral de Curitiba em 1900, com dados de progressão populacional: 1780 (2.949 hab.), 1857 (10.000 hab.), 1858 (11.313 hab.), 1872 (11.730 hab.), 1890 (24.553 hab.), 1900 (50.124 hab.)Um dos mais expressivos acontecimentos da história curitibana deu-se em 1912, com a fundação da Universidade Federal do Paraná, idealizada e realizada por Victor Ferreira do Amaral, Nilo Cairo e Pamphilo de Assumpção. Após a implantação da República, o primeiro prefeito de Curitiba foi Cândido Ferreira de Abreu (maio de 1893 a dezembro de 1894). Em 1911, o município era formado por apenas o distrito da sede, sendo que em 1929 estava subdividido em 6 Distritos de Paz: Campo Magro, Nova Polônia, Portão, São Casemiro do Taboão, Santa Felicidade e o da Sede. De acordo com a Divisão Territorial de 1936, a comarca de Curitiba compreendia três termos, o da sede (Piraquara, Rio Branco e Tamandaré), o de Araucária e o de Colombo (Bocaiuva e Campina Grande). A Lei Estadual nº 1452, de 14 de dezembro de 1953, estabeleceu a nova divisão judiciária do município, criando dez Distritos Judiciários, que eram: Sede, Portão, Taboão, Barreirinha, Boqueirão, Cajuru, Campo Comprido, Santa Felicidade, Umbará e Tatuquara.

Em 1820 Curitiba recebeu a visita do sábio francês Saint-Hilaire, que ficou maravilhado com a cidade, e alguns trechos de suas anotações dizem o seguinte: "...As ruas são largas e quase regulares... a praça pública é quadrada, muito grande e coberta de grama... as igrejas são em número de três, todas construídas de pedra... em nenhuma outrra parte do Brasil eu havia havia tantos homens verdadeiramente brancos, como no distrito de Curitiba... pronunciam o português sem a alteração que revela a mistura da raça caucásica com a vermelha... são grandes e bonitos, tem os cabelos castanhos e tez rosada, maneiras agradáveis... as mulheres têm traços mais delicados do que as das outras partes do Império por onde viajei. Elas se escondem menos e conversam com desenvoltura". Esta descrição é um reflexo da civilidade e determinação do povo curitibano de 1820, que faz a base da Curitiba do final do século XX. Da Curitiba do Ligeirinho, da Ópera de Arame, da Rua das Flores e da Rua 24 Horas.






2 comentários:

Andre disse...

Poxa... Se tentar assistir um video nao da pra ouvir bem o audio porque a musica de fundo desse site toca ao mesmo tempo que qualquer som do video

Centro Cultural Luso Brasileiro disse...

Amigo André você tem razão, mas aqui vai uma dica para o amigo: - À direita, em cima, é só clicar no botão de pausa do vídeo que está gerando essa música pertubadora e que fica logo abaixo do logotipo do CCLB, que a tal música "clássica" irá silenciar.
Obrigado pelo comentário e continue acessando, comentando e divulgando nosso blog...

Postar um comentário