...E ASSIM NASCEU SANTARÉM "DE TEIXEIRA"




Santarém (Pará)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Município de Santarém
"Pérola do Tapajós"
"Capital do Tapajós "
Catedral Metropolitana de Santarém

Catedral Metropolitana de Santarém
Bandeira de Santarém
Brasão de Santarém
Bandeira Brasão

Aniversário 22 de junho
Fundação 22 de junho de 1661 (353 anos)
Emancipação 14 de março de 1758 (256 anos)
Gentílico santareno
mocorongo
Prefeito(a) Alexandre Raimundo de Vasconcelos Wanghon (PSDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Santarém
Localização de Santarém no Pará
Santarém está localizado em: Brasil
Santarém
Localização de Santarém no Brasil
02° 26' 34" S 54° 42' 28" O
Unidade federativa Pará Pará
Mesorregião Baixo Amazonas IBGE/2008 
Microrregião Santarém IBGE/2008 
Região metropolitana Santarém
Municípios limítrofes Norte: Alenquer, Monte Alegre e Óbidos
Sul: Rurópolis, Placas, Uruará e Belterra
Leste: Prainha
Oeste: Juruti
Distância até a capital 1,520 km
Características geográficas
Área 16,080 km² 
População 290 521 hab. (PA: 3º) –  IBGE/2014
Densidade 18 067,23 hab./km²
Altitude 35 m
Clima equatorial Am
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,641 (PA: 4º) – médio PNUD/2010 
PIB R$ 3 200 000 000 mil IBGE/2011
PIB per capita R$ 74 04,94 IBGE/2011
Página oficial


Santarém é um município brasileiro do estado do Pará. É o segundo município mais importante do Pará e o principal centro socioeconômico do oeste do estado. Pertence à messorregião do Baixo Amazonas e à microrregião homônima. Situa-se na confluência do rios Amazonas e Tapajós. Está localizado a meia distância entre as principais capitais da Amazônia (Belém e Manaus), distando aproximadamente 800 quilômetros em linha reta. Ficou conhecida poéticamente como "Pérola do Tapajós".

Em 2010 sua população foi totalizada pelo censo demográfico do IBGE em 294 774 habitantes, sendo então o terceiro município mais populoso do Pará (ficando atrás apenas de Belém e Ananindeua), o sétimo maior do norte do Brasil e o 83º de todo o país. Ocupa uma área de 22 887,080 km², sendo que 77 km² estão em perímetro urbano.

Santarém foi fundada em 22 de julho de 1661, sendo então a segunda cidade mais antiga do norte do país (atrás apenas de Belém). Foi elevada a categoria de vila em 1758. Em conseqüência de seu notável desenvolvimento foi elevada a categoria de cidade em 1948. Está inlcuída no plano das cidades históricas do Brasil Colônia.

Por causa das águas cristalinas do Rio Tapajós, Santarém tem mais de 100 quilômetros de praias que mais se parecem com o mar. É o caso de Alter do Chão, conhecida como "Caribe Brasileiro" e escolhida pelo jornal britânico The Guardian como uma das praias mais bonitas do Brasil e a praia de água doce mais bonita do mundo. Lá é o palco de uma das maiores manifestações folcloricas da região, o Sairé, que atrai turistas do mundo todo.

Atualmente, está vivendo momentos de expectativas no contexto cultural e politico, devido ao movimento em torno da criação do estado do Tapajós, pois está cogitada para ser capital do estado. O plebiscito está marcado para acontecer dia 11 de dezembro de 2011, do qual todos os eleitores paraenses devem participar da eleição que escolherá se será ou não será criado o novo estado brasileiro.


História


Cronologia


1542 - Primeira referência escrita de que se tem notícia com relação ao contato de brancos civilizados com os índios Tupaius ou Tapajós, onde se relata que o espanhol Francisco Orellana saqueou as plantações de roça e milho desses índios.
1626 - Pedro Teixeira - Capitão Português - Chega à taba dos Tupaius com o objetivo de comprar silvícolas prisioneiros de guerra de outras tribos, para ajudarem as tropas portuguesas na expulsão da pirataria do rio Amazonas. Eram 1200 índios guerreiros e 800 soldados portugueses nessa missão, que chegou até Quito no Equador através do rio Napo. No entanto, coube ao capitão Teixeira adquirir esteiras e outras curiosidades, além de manter um ótimo relacionamento com os índios.
1639 - Bento Maciel - Sargento-mor da Capitania do Cabo Norte - investe de surpresa sobre a aldeia dos Tapajós, com fúria implacável, dizimando grande número de índios.
1659 - Padre Antônio Vieira - Primeiro Jesuíta que veio expressamente ao Tapajós.
1661 - 22 de junho: Padre João Felipe Bettendorf instala missão na aldeia dos Tapajós, dando origem à cidade de Santarém.
1697 - Inauguração da Forte dos Tapajós.
1757 - Extinção das Missões Religiosas.
1758 - Aldeia dos Tapajós é elevada à categoria de Vila pelo Capitão-general Francisco Xavier de Mendonça Furtado (governador da Província do Grão-Pará), recebendo o nome de Santarém, em homenagem à cidade de Santarém em Portugal.
1761 - Um século após a construção da primeira capelinha de Nossa Senhora da Conceição, é iniciada a edificação da nova igreja mais a leste.
1819 - Visitam a Vila de Santarém os cientistas europeus Carlos Frederico Von Martius e Johann Baptist Von Spix.
1828 - O Legislativo passa a denominar-se Câmara Municipal, através de Lei Imperial.
1829 - 1 de junho: Instalação da primeira Câmara Municipal.
1835 - Início da Cabanagem - movimento revolucionário popular, cujo nome deriva do fato de que a grande maioria dos revolucionários era de origem humilde, habitantes de barracas ou cabanas.
1848 - 24 de outubro: A Vila de Santarém, pela Lei nº 145, é elevada à categoria de Cidade.
1853 - Início da construção da antiga Prefeitura Municipal.
1853 - Outubro: Circula em Santarém o primeiro jornal da cidade com o nome de Amazoniense.
1867 - 17 de setembro: Chegada a Santarém dos primeiros confederados norte-americanos para instalar colônia.
1888 - 13 de maio: Santarém antecipa-se à Lei Áurea extinguindo a escravatura.
1896 - 28 de junho: Inauguração do Teatro Vitória.
1900 - 3 de maio: Inauguração do Grupo Escolar de Santarém (atual Frei Ambrósio). É a mais antiga escola em funcionamento na cidade de Santarém.
1903 - 21 de setembro: Criação da Prelazia de Santarém, através do decreto "Romani Pontifices" do Papa Pio X.
1904 - 29 de setembro: Instalação solene da Prelazia de Santarém e posse do primeiro prelado Monsenhor Frederico Benício de Sousa Costa.
1907 - 3 de agosto: Chegada a Santarém dos primeiros franciscanos chefiados por Frei Amando Bahlmann.
1908 - A Prelazia de Santarém é oficialmente confiada aos franciscanos, sendo Frei Amando Bahlmann nomeado Prelado.
1910 - Fundação da Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição por Dom Amando Bahlmann e Madre Maria Imaculada.
1915 - 31 de maio: Inauguração do novo convento e orfanato de Nossa Senhora de Lourdes (atual Colégio Santa Clara).
1918 - Criação e funcionamento da Escola São Francisco por Frei Ambrósio Philipsenburg.
1919 - 29 de novembro: Realização do primeiro Círio de Nossa Senhora da Conceição em Santarém.
1928 - Chegada a Santarém de navios trazendo homens e máquinas enviados por Henry Ford para a implantação da Companhia Ford Industrial do Brasil. Fordlândia (município de Itaituba) e depois Belterra (município de Santarém) foram os locais escolhidos pelos técnicos de Ford para o cultivo em grande escala da seringueira.
1940 - 2 de julho: Inauguração do primeiro estabelecimento bancário em Santarém, sub-agência do Banco do Brasil S/A.
1942 - Criação do Serviço Especial de Saúde Pública (SESP) através de acordo firmado entre os governos do Brasil e dos Estados Unidos da América do norte. Mais tarde, já sob a tutela exclusiva do governo brasileiro foi transformado em Fundação.
1943 - 14 de março: Inauguração do Ginásio Dom Amando.
1943 - 25 de junho: Chegada a Santarém dos quatro primeiros sacerdotes franciscanos da Província do Sagrado Coração de Jesus, dos Estados Unidos da América do Norte.
1948 - 16 de março: Instalação da Escola Técnica de Comércio do Baixo Amazonas Rodrigues dos Santos.
1948 - 15 de outubro: Criação do Instituto Batista de Santarém.
1948 - 24 de outubro: Inauguração da Rádio Clube de Santarém.
1954 - 24 de outubro: Inauguração do Serviço Telefônico de Santarém, com duzentos aparelhos automáticos, instalados pela Empresa Telefônica de Santarém Ltda.
1960 - Instalação do Ginásio Normal São Raimundo Nonato, dirigido pelas Irmãs Adoradoras do Sangue de Cristo.
1962 - 1 de maio: Realização da solenidade de lançamento da pedra fundamental para a construção da primeira escola pública a nível secundário Colégio Estadual Prof. Álvaro Adolfo da Silveira.
1964 - 5 de julho: Inauguração da Rádio Emissora de Educação Rural de Santarém Ltda.
1969 - 12 de setembro: Inclusão de Santarém na Área de Segurança Nacional, através do Decreto Lei nº 866. A partir desse momento, o santareno não mais poderia escolher o seu prefeito, que passaria a ser nomeado pelo Presidente da República.
1970 - 14 de julho: Criação da Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM), através do Decreto nº 7.125. A instalação oficial deu-se a 24 de julho.
1970 - 24 de agosto: Chegada a Santarém do Destacamento Precursor do recém-criado 8º Batalhão de Engenharia de Construção, do Exército Brasileiro, objetivando a implantação da rodovia Santarém-Cuiabá.
1970 - 12 a 19 de dezembro: Realização do 1º Festival de Música Popular do Baixo Amazonas.
1971 - 14 de outubro: Implantação do Campus Avançado da Universidade Federal de Santa Catarina em Santarém.
1974 - 11 de fevereiro: Inauguração do Cais do Porto de Santarém pelo Presidente da República General Emílio Garrastazu Médici.
1977 - 19 de agosto: Inauguração da Hidrelétrica de Curuá-Una, primeira hidrelétrica construída na Amazônia.
1979 - 26 de maio: Inauguração da TV Tapajós, pioneira em Santarém.
1980 - 6 de dezembro: Inauguração da estação rastreadora de Santarém pela Empresa Brasileira de Telecomunicações (EMBRATEL), possibilitando assim o funcionamento de canais de telefonia, telex e a captação de transmissões de televisão.
1981 - 12 de julho: Inauguração do Anfiteatro Joaquim Toscano na praça Barão de Santarém.
1985 - Criação em Santarém da primeira instituição de ensino de 3º grau do interior do Pará, o Instituto Santareno de Ensino Superior (ISES).
1985 - 15 de novembro: Eleição direta para prefeito, conforme decisão do Congresso Nacional, para municípios de área de segurança nacional.
1987 - 11 de março: Reinauguração da Casa de Cultura de Santarém, que por Decreto do Governador Jáder Barbalho passou a chamar-se Casa de Cultura Historiador João Santos.
1987 - 11 de março: Inauguração da primeira etapa do Estádio Jáder Barbalho.
1990 - Instalação em Santarém da Universidade Luterana do Brasil.
1991 - 22 de junho: Inauguração do novo prédio da Prefeitura Municipal Palácio Senador Jarbas Gonçalves Passarinho.
1993 - 20 de agosto: Implantação do Pólo Santarém da Fundação Carlos Gomes pela professora Maria da Glória Boulhosa Caputo.
1994 - 10 de agosto: Instalação da Escola de Música Maestro Wilson Fonseca, nas dependências da Casa de Cultura.
1995 - 15 de setembro: Posse do maestro Wilson Fonseca em Belém na Academia Paraense de Letras.
1995 - 08 de dezembro: Criação da 1a. Caminhada de Fé com Maria, por Pe. Auricélio Paulino. Mojuí dos Campos a Santarém - 37 Kms - Nossa senhora da Conceição.
2001 – Inauguração da Orla de Santarém e do Instituto Esperança de Ensino Superior – IESPES.
2002 – Falecimento do Maestro Wilson Dias da Fonseca (Isoca).
2003 – Inauguração da Cargill em Santarém.
2007- Chegada do novo Bispo de Santarém, Dom Esmeraldo.



Seus primeiros habitantes foram os índios Tupaius que através da agricultura, pesca e extrativismo animal, conseguiam sobreviver. A colonização da região aconteceu no século XVII, em 22 de junho de 1661, quando os portugueses chegaram no local para impedir uma invasão inglesa.
Posteriormente, ocorreram as missões religiosas, os padres jesuítas faziam com que os índios armazenassem suas colheitas em empórios para serem levados para a Europa. Em 1667, Santarém começa a se desenvolver economicamente graças ao cultivo do cacau que por muitos anos era o principal produto exportado da região.
No século XVIII, a cidade já contava com comércio de produtos variados, o que intensificou a agricultura que era necessária para o comércio. A extração do látex também impulsionou o crescimento da cidade, já que foi bastante usado no automobilismo.

Primórdios


Dez anos após a fundação de Belém, 1616, Pedro Teixeira junto com Frei Cristóvão, 26 soldados e inúmeros índios exploravam o Rio Amazonas, quando se depararam com a aldeia de Tupuliçus na foz do Rio Tapajós e ali atracaram. A expedição foi bem sucedida, pois os índios que alí viviam, já antes, haviam entrado em contato com os homens civilizados, principalmente espanhóis e portugueses e o próprio Pedro Teixeira, que muito antes, já, ali, combatia a pirataria de franceses, ingleses, holandeses e outros aventureiros estrangeiros e os quais só conseguiu definitivamente expulsar em 1620, apoiado por uma esquadra composta por 1200 índios e 800 portugueses. Portanto, foi ótima a recepção a seus fundadores...

Resumo: em 1626, ao ser descoberta por Pedro Teixeira, Frei Cristovão, 26 soldados portugueses e numerosos índios, a cidade chamava-se Tupuliçus.
Em 22 de junho de 1661, com a chegada do padre português João Felipe Bettendorff, passou a chamar-se Aldeia dos Tapajós.

Aldeia dos Tapajós (1661-1758)


Centro histórico, foto Niani
 Santarém foi fundada então pelo Padre português João Felipe Bettendorff, ajudado por Pedro Teixeira, em 22 de junho de 1661 sob o nome de "Aldeia dos Tapajós". Logo ao chegar, o fundador construiu a primeira capela; Nossa Senhora da Conceição.

Posteriormente, Pedro Teixeira explorou o Rio Tapajós e então coube aos jesuítas a fundação da aldeia dos Tapajós com fins missionários, no lugar onde o padre Antônio Vieira estivera no primeiro semestre de 1659, isto é, dois anos antes de sua fundação, a atual Santarém. A partir do desenvolvimento dessa aldeia originaram-se outras povoaçães como as de São José dos Matapus em 1722 (hoje conhecida como Pinhel), Tupinambarana ou Santo Inácio em 1737 (hoje conhecida como Boim) e Borari em 1738 (hoje conhecida como Alter-do-Chão).

Casario histórico, foto Niani
Com o progresso das missões, Francisco da Mota Falcão iniciou, a construção de uma fortaleza, a qual foi terminada por seu filho, Manoel Mota Siqueira em 1697. Essa fortaleza tinha a forma quadrada, com baluartes nos ângulos e foi o núcleo da vila que deu origem a cidade de Santarém. Em 1762, estando em ruinas, a fortaleza foi reconstruída, passando daí por diversos reparos, porém hoje nada mais existe. A Aldeia dos Tapajós foi elevada à categoria de vila em 14 de março de 1758 pelo governador da província do Grão Pará, Francisco Xavier de Mendonça Furtado, recebendo então o nome de Santarém em homenagem a cidade portuguesa de mesmo nome.

Resumo:
Tupuliçus em 1626. Aldeia dos Tapajós em 1661. Vila de Santarém em 1758. Cidade, a partir de 1948.
Santarém foi elevada à categoria de cidade, em 24 de outubro de 1948 em conseqüência de seu notável desenvolvimento.

Etimologia




A origem do nome da cidade provém da cidade portuguesa de mesmo nome. Conta uma antiga lenda, que havia na Lusitânia uma cidade chamada Nabância. Nesta cidade, dois nobres godos (povo de origem germânica) Ermígio e Eugênia, que tinham uma formosa filha chamada Irene, que desde criança, foi destinada à vida religiosa, sendo educada em um convento próximo à sua residência, por duas tias freiras, deram origem a uma famosa história de amor...
Certo dia, um rapaz chamado Teobaldo a viu no cláustro e ficou perdidamente apaixonado por ela. Pediu-a em casamento, não sendo porém atendido, pois Irene pretendia tornar-se freira. Enfurecido, Teobaldo decidiu raptá-la, o que conseguiu, após narcotizá-la, auxiliado por serviçais. Passado o efeito do narcótico, o rapaz foi novamente repelido por Irene, pelo que Teobaldo degolou-a e lançou seu corpo ao Rio Tejo, indo dar à praia em frente à cidade de Escalabis. Ali, anjos recolheram o corpo de Irene e lhe construíram magnífico túmulo de mármore alvinitente. A notícia espalhou-se por toda a Lusitânia e de toda parte acorria gente para venerar o túmulo da virgem mártir. Mais tarde, a cidade de Escalabis teve seu nome mudado para Santa Irene, que os portugueses pronunciavam Sant'Irene, daí corrompendo-se facilmente para Santarém.
Até hoje esta cidade portuguesa chama-se Santarém, e foi daí que Mendonça Furtado tirou o nome para a essa Santarém, como uma homenagem dos portugueses, que fundaram a vila de Santarém, à cidade lusitana do mesmo nome. Este nome foi dado à aldeia dos Tapajós, quando ela foi elevada à categoria de vila em 14 de março de 1758.

Geografia

Santarém localiza-se na Mensorregião do Baixo Amazonas e Microrregião de Santarém, à margem direita do Rio Tapajós na sua confluência com o Rio Amazonas. É o centro polarizador da Região Oeste do Pará - área que abrange 777.358 km² e abriga vinte e cinco municípios. Constitu-se em centro polarizador, porque oferece melhor infra-estrutura econômica e social (escolas, hospitais, universidades, estradas, portos, aeroportos, comunicações, indústria e comercio etc.) e tem um setor de serviços muito desenvolvido.

Ao norte, o município faz fronteira com os municípios de Óbidos, Alenquer e Monte Alegre,(também nomes de cidades portuguesas) dividindo com eles o leito do Rio Amazonas. Limata-se ao sul com os municípios de Rurópolis e Placas. Ao leste faz fronteira com o munícipio de Belterra. Suas coordenadas geográficas são: 2º 24' 52" S e 54º 42' 36" W e situa-se em nível médio de altitude de 35m.

Relevo

De acordo com o Projeto Radam, as principais unidades morfoestruturais identificadas em Santarém estão representadas pela Planície Amazônica, o Planalto Rebaixado da Amazônia e o Planalto Tapajós-Xingu. A Planície Amazônica ocupa a porção norte do município e constitui as áreas de várzea, temporariamente submetidas às inundações do Rio Amazonas. O Planalto Rebaixado da Amazônia representa uma superfície intermediária entre a planície supramencionada e o Planalto Tapajós-Xingu. O Planalto Tapajós-Xingu é a feição morfológica dominante na porção centro-sul do município, situada nas maiores altitudes regionais, entre 100 e 150 metros, em média.

Clima

Rio Tapajós
O clima dominante na região é quente e úmido, característico das Florestas Tropicais. Não está sujeito a mudanças significativas de temperatura devido sua proximidade da linha do equador. A temperatura média anual varia de 25º a 28°C, com umidade relativa média do ar de 86%. A precipitação pluvial média anual é de 1920 mm, com maior intensidade no chamado período de "inverno", que ocorre de dezembro a maio, quando a precipitação média mensal varia de 170 mm a 300 mm. Nos meses de junho a novembro ocorre o período mais seco, correspondendo ao "verão" regional. Nesse período, ocorrem as menores precipitações pluviais registradas na região, com valores médios inferiores a 60mm, entre os meses de agosto a outubro.


Vegetação

O município tem diversos tipos de grupos de vegetação, que variam bastante em função dos tipos de solos e da drenagem hídrica. As áreas relacionadas à vegetação nativa constituem o elemento de maior representatividade na região em estudo, ocupando uma superfície com cerca de 18.334 km2, o que representa 69% de todo o espaço municipal de Santarém. Ocorrem, preferencialmente, na porção meridional, ao longo das principais bacias hidrográficas que cortam a região. Em função de suas características, foram subdivididas em Floresta, Cerrado e Várzea, esta última com ampla ocorrência no extremo norte do município.

Hidrografia

A rede hidrográfica do município foi dividida em seis bacias, sendo, a Bacia do Rio Amazonas, que abrange mais 1/6 de toda extensão territorial do município, a Bacia do Rio Arapiuns que está localizada na porção oeste do município, entre as bacias do Tapajós e do Amazonas e ocupa uma superfície de aproximada de 7.064 km², correspondendo a cerca de 28% de todo espaço municipal, a Bacia do Rio Tapajós que é a segunda extensão territorial, dentro das terras do município, as Bacias dos rios Moju, Mojuí que são tributárias da bacia do rio Curuá-Una e formam juntas toda a malha hídrica existente na chamada "Região do Planalto", composta por inúmeros igarapés e rios de pequeno porte, todos convergentes para o rio central, o Curuá-Una.

Acesso

O transporte aéreo é realizado através de vôos diários por aeronaves de diferentes dimensões: Brasília, ATR 72, AIRBUS 320 e Boeing - 737. O Boeing leva aproximadamente uma hora de viagem até as cidades de Belém e Manaus, se estendendo, a partir de mesma, para outras regiões do país (nordeste, centro-oeste, sul, sudeste) e exterior.

Por via terrestre o acesso até à Capital do Estado, Belém, acontece através da BR-163 (Rodovia Federal Santarém-Cuiabá), ligando Santarém ao município de Rurópolis, com 229 km de estrada, cruzando a partir daí a BR-230 (Rodovia Transamazônica), percorrendo 90 km até o município de Placas, passando por diversos municípios (Uruará, Medicilância, Brasil Novo, Altamira, Belo Monte, Anapu, Pacajá, Novo Repartimento) até chegar em Tucuruí via BR-422, em em seguida percorrer os municípios de de Breu Branco, Goianésia, Tailândia, Mojú, Abaetetuba, Barcarena, Ananindeua, para finalmente alcançar a BR-316, e a cidade de Belém, através de linhas regulares de ônibus.

A modalidade hidroviária é o mais importante meio de locomoção de passageiros e transporte de cargas, devido à existência dos vários rios que formam a rede hidrográfica (Amazonas, Tapajós, Arapiuns, Curuá-Una, Moju e Mojuí) e desempenha importante papel na economia local. Embarcações de médio porte fazem a navegação fluvial para as cidades de Belém (Pará), Manaus e Macapá. As embarcações de grande porte fazem a navegação de longo curso. De Santarém para a capital do Estado, via fluvial, são 880 quilômetros de distância e para Manaus são 756 quilômetros.

Infra-estrutura

Portos e aeroportos

A infra-estrutura portuária é constituída por portos de grande movimento como o Porto de Santarém, que é administrado pela Companhia Docas do Pará, de jurisdição federal, que junto ao Porto de Belém são os mais próximos dos Estados Unidos. Possui capacidades de receber navios de grande porte de até 18 000 TDW, também permite a acostagem de navios com 10 m no período de maior estiagem e de até 16 m no período de cheia dos rios. Tem uma extensão acostavel de 520 metros e 380 metros no píer.

Porto da Cargill
O porto da Cargill, de jurisdição privada localizado nos arredontamentos da Companhia Docas do Pará em Santarém, escoa soja para o exterior. O terminal graneleiro tem capacidade para armazenar 60 000 t, o que corresponde a um navio que transporta 55 mil toneladas de soja. Existem portos improvisados administrados pela prefeitura, como o porto improvisado localizado em frente a Praça Tiradentes, onde atracam as embarcações de médio e pequeno porte, que transportam cargas e passageiros de municípios no interior, o porto da Vila Arigó, onde atracam barcos de pesca e balsas de cargas, o porto de Buchada, o porto de Santana do Tapará e o porto do Patacho.

Aeroporto Internacional de Santarém

O Aeroporto Internacional de Santarém, distante 15 km do centro de Santarém, atende as necessidades do meio de transporte aéreo. O aeroporto possui uma área patrimonial de 11.000.000 m² e pista de pouso em concreto asfáltico com 2.400 m por 45 m, com capacidade para receber 225.000 passageiros por ano.

Segundo a Infraero, em julho de 2010, devido à alta temporada, o embarque e desembarque de passageiros foi de 38.340. No entando, em setembro de 2010 registrou melhor desempenho dos últimos anos no aeroporto, pois mais de 40.000 pessoas totalizaram o movimento de passageiros na cidade, sendo que alguns fatores que contribuíram para esse crescimento foi a festa do Sairé, que acontece em setembro e também pela escolha das praias fluviais de Santarém como as melhores praias de água doce do mundo segundo o jornal inglês The Guardian em 2009.

Sistema viário e rodoviário


O Terminal Rodoviário de Santarém, atende as necessidades do meio de transporte terrestre. A Rodovia Santarém-Cuiabá (BR-163) é a rodovia federal que liga Santarém/Cuiabá, no estado do Mato Grosso, tanto que no perímetro urbano de Santarém, essa rodovia é conhecida simplesmente como Avenida Cuiabá e é um dos principais logradouros da cidade. A rodovia, ao todo, tem mais de 1.700 quilômetros. Sua extensão em Santarém é de 165 quilômetros (incluindo Belterra). De Santarém até Rurópolis, a rodovia é pavimentada.

Seis estradas estaduais percorrem em Santarém e prefazem um total de 253 quilômetros, dos quais 144 quilômetros são de revestimento primário e 109 quilômetros são de revestimento asfáltico. São elas, PA-257 que liga Santarém ao município de Juriti e tem 150 quilômetros de extensão, PA-370 que liga o centro urbano de Santarém à usina hidrelétrica curuá-una e tem 67 quilômetros de extensão, PA-433 que liga a comunidade de Tabocal em Santarém à comunidade de Jabuti e tem 36 quilômetros de extensão, Rodovia Everaldo Martins (PA-457) que liga o centro urbano de Santarém à Alter do Chão e tem 29 quilômetros de extensão e a PA-370 que liga a comunidade Santa Rosa em Santarém passando por Mojuí dos Campos até à comunidade São José e tem 24 quilômetros de extensão. São vias de grande importância econômica, complementadas pelo sistema rodoviário municipal, a Rodovia Fernando Guilhon, que liga o centro urbano de Santarém ao Aeroporto Internacional de Santarém e tem 15 quilômetros de extensão e outras estradas vicinais.

Na cidade de Santarém existem 670,41 quilômetros de vias urbanas, das quais 358,36 quilômetros formam o leito natural do sistema viário (o que corresponde a 53,45%), 162,45 quilômetros são de vias asfaltadas (totalizando 27,94%) e 149,60 quilômetros são de piçarras (perfazendo 22,32%). Em Alter do Chão existem 40,74 quilômetros de vias, das quais 9,15 quilômetros estão asfaltadas.

Principais ruas e avenidas

* Avenida Cuiabá
* Avenida Tapajós
* Avenida Mendonça Furtado
* Avenida Barão do Rio Branco
* Avenida Rui Barbosa
* Avenida Borges Leal
* Avenida Margalhães Barata
* Avenida Anysio Chaves
* Avenida Curuá-Una
* Avenida Dom Frederico Costa
* Avenida Moaçara
* Avenida Mararu

Sistema de transporte público


Fazem parte do Sistema de Transporte Público de Passageiros: o transporte coletivo urbano, o transporte coletivo rodoviário suburbano e intramunicipal, o transporte coletivo hidroviário intramunicipal e intermunicipal, o transporte individual de passageiros em automóveis (Taxi), o transporte individual de passageiros em motocicletas (Mototaxi), o transporte coletivo interdistrital e o transporte escolar.

O Sistema de Transporte Público de Passageiros é gerenciado pela Secretaria Municipal de Transportes, que gerencia a circulação viária, planeja e promove o desenvolvimento da circulação e da segurança no trânsito, pela Polícia Militar através do seu Batalhão de Trânsito (fiscalização) mediante serviço de cooperação mútua entre o governo do estado e a prefeitura, pela Polícia Rodoviária Federal, pela Capitania dos Portos, pela Agência Estadual de Regulação (ARCON), pelo DETRAN, órgão responsável pelo cadastramento das frotas, documentação de veículos e habilitação dos motoristas e pela Secretaria Executiva de Transporte do Estado do Pará (SETRAN), responsável pela construção, recuperação e conservação da malha rodoviária estadual.

Saneamento básico

Prefeitura de SantarémO saneamento básico é constituído por uma rede de esgoto sanitário numa extensão de 50 quilômetros, incompleto, pois não existe coletor principal, nem a estação de tramento e nem o emissário. O sistema de drenagem abrange 53,32 quilômetros, o que equivale a 8,94% do sistema viário.

O abastecimento de água é efetuado pela Companhia de Saneamento do Pará (COSANPA), através de 18 poços tubulares profundos, com profundidade que varia de 180 a 270 metros profundos (captação subterrânea), totalizando 30 200 ligações ativas, com uma cobertura de 78% dos imóveis. Existem ainda 90 microssistemas como forma alternativa de abastecimento de água, sendo 19 na zona urbana, atendendo 5 188 famílias e 71 na zona rural, beneficiando um total de 7 800 famílias.

A coleta de lixo é terceirizada e alcança 100% dos domicílios da zona urbana, mais Mojuí dos Campos e Alter do Chão. O destino dos resíduos sólidos é o aterro municipal localizado na comunidade Perema, área do planalto, com capacidade para 200 toneladas ao dia.

Energia elétrica

A distribuição e comercialização dos serviços de energia é efetuada pela Centrais Elétricas do Pará (CELPA), que é abastecida pela linha de transmissão da UHE da Usina Hidrelétrica de Tucuruí e pela Hidrelétrica Curuá-Una, com 30,3 megawatts de potência instalada. Em 2010 foi registrado pelo setor de tecnologia da informação da Secretaria Municipal de Finanças, através do Cadastro Multinalitário, a existência de 55 091 residências com energia elétrica em Santarém.

Educação

Escola estadual de ensino fundamental
Maria de Lourdes, no bairro do Livramento
A rede educacional conta com 457 escolas públicas municipais que atendem a 62 121 alunos, 44 estaduais, que oferecem educação especial, ensino médio e fundamental para 37 145 alunos, e 44 escolas particulares. Doze universidades (duas federais, uma estadual e nove particulares) ofertam vagas para diversos cursos de graduação, conferindo a Santarém o título de pólo de desenvolvimento em educação superior do oeste do Pará.

Existem também cursos profissionalizantes promovidos pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), Serviço Social do Comércio (SESC), Serviço Social da Indústria (SESI), Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR) e empresas da área de informática.

Saúde

O Hospital Regional Público do Oeste é o hospital mais moderno em Santarém.

Os serviços de saúde pública são pretados pelo Sistema Único de Saúde (SUS), sob gestão municipal. A cobertura se dá nos níveis da atenção básica de promoção da saúde e prevenção de doenças, na assistência de média e alta complexibilidade (médicas ambulatoriais especializadas complementadas com diagnóstico de maior complexidade) e nos serviços de alta complexibilidade técnica e tecnológica, que, compreendem os serviços hospitalares especializados e os procedimentos ambulatoriais de alta complexidade.

As atividades da Secretaria Municipal de Saúde (SEMSA) são operacionalizadas por 1.745 servidores da área de saúde (médicos, enfermeiros, auxiliares, farmacêuticos, nutricionistas, psicólogos, terapeutas, odontólogos, técnicos, equipes dos programas de saúde e etc.).

Santarém dispõe de 461 leitos pelo SUS, quantidade inferior aos parâmetros preconizados pela portaria. O Relatório de Gestão da SEMSA, afirma que "a totalidade desses leitos está concentrada na área urbana, assim como a maioria dos Serviços Ambulatoriais de maior complexidade".

Na zona rural os serviços de saúde são ofertados através de 15 centros de saúde e 34 postos de saúde, com atuação permanente de enfermeiros, apoiados por agentes comunitários de saúde. Ambulâncias e unidades móveis terrestres e fluviais completam a estruturas da saúde na zona rural.

Comunicações

O setor de comunicações é representado pelos provedores de internet, Netsan, VSP, WSP, Oi Velox e Embratel, além de provedores sem fio disponibilizados pelas telefonias móveis, conta também com a telefonia fixa, Oi Fixo, Livre e Embratel, a telefonia móvel inclui as empresas, Vivo, Tim, Claro e Oi, as edições locais da mídia impressa incluem, Jornal de Santarém, Estado do Tapajós, O Impacto, A Gazeta de Santarém, A Tribuna e Jornal Cidade.

Correios
Santarém conta com as emissoras de Rádio FM, Guarani e Tapajós e conta com as emissoras de Rádio AM, Rural, Ponta Negra e Tropical. As emissoras de TV aberta incluem a TV Tapajós canal 4 (Rede Globo), TV Amazônia canal 7 (Rede TV), TV Ponta Negra canal 5 (SBT), TV Santarém canal 12 (Rede Bandeirantes), Rede Vida Santarém canal 17 (Rede Vida), Rede Nazaré Santarém canal 40 (Rede Nazaré), TV Guarany canal 15 (Rede Record), MTV Santarém canal 20 (MTV), sendo que, destas, 7 possuem programas jornalísticos e culturais locais.
O Correios opera em Santarém através de uma agência central, uma franqueada, um centro de distribuição domiciliada e um terminal de cargas com todos os serviços que lhe são comuns nos grandes centros urbanos: Postagem, caixas postais, telegrama, Fax etc.


Economia


A M.A.D.E.S.A em Santarém atua no ramo da madeira. Trabalhamos com madeiras nobres, brutas e beneficiadas, que podem ser usadas tanto na construção civil como na indústria moveleira.
Atualmente a economia de Santarém está assentada nos setores de comércio e serviços, no ecoturismo, nas indústrias de beneficiamento (madeira, movelarias, olarias, panificadoras, agroindústrias, beneficiamento de peixe etc.) e no setor agropecuário, que segundo o IDESP, na sua pesquisa sobre o Produto Interno Bruto dos municípios em 2008, destacou-se como maior produtor de arroz e soja do estado do Pará e como terceiro maior produtor de mandioca do estado e o quarto do Brasil.

Agropecuária
 
Feira Livre - Santarém - PA.
O setor agropecuário se destaca na economia de Santarém, e é representado pelas atividades pesqueiras, pela pecuária de corte e leiteira, agricultura, pela avicultura, extrativismo etc. No entando, segundo o CEAMA, Santarém compra semanalmente 120 toneladas de alimentos de outros mercados produtores.

Atualmente a agricultura familiar é o seguimento responsável pelo abastecimento de parte considerável dos produtos que chegam à mesa dos consumidores, considerado, por isso, de grande relevância para Santarém.

As principais culturas cultivadas pela agricultura familiar são, verduras e legumes, as culturas do milho, mandioca, arroz, feijão, coco, banana, café, laranja, limão, maracujá, melancia, fibra de curauá, pimenta do reino, tomate, tangerina, urucu, polpas de frutas, produção de açaí e castanha do Pará. Destacam-se ainda os produtos medicinais e aqueles voltados para a indústria de cosméticos, cumarú, óleo de copaíba, andiroba, mel de abelhas, leite de Amapá, sucuba, jenipapo etc.

Indústria

http://www.encontrasantarem.com.br/wp-content/uploads/2012/10/industria-em-geral-santarem-1351269197.jpg
A Maica Indústria de Produtos Alimentícios e Bebidas em Santarém é uma das mais importantes indústrias fornecedoras para o mercado da alimentação. Participamos ativamente da comunidade, honrando nossos compromissos e respeitando nossos talentos humanos, o meio ambiente e a sociedade em geral.
  O setor secundário é representado pelas chamadas indústrias leves, de pequeno porte, que utilizam processos semi-industriais, limitando-se ao beneficiamento de alguns produtos primários e extrativos, tais como processamento de madeira, moveleiras, beneficiamento de látex, usinas de beneficiamento de arroz e de castanha, casas de farinha, indústrias de beneficiamento de pescado, produção de alimentos (panificadoras, torrefações, fabrica de refrigerantes), fábricas de gelo e sabão, agroindustrias, pequenas unidades artesanais, que trabalham com madeira, barro, couro e fibra, marcenarias, indústrias de cerâmica (tijolo, telha etc.), material impresso, vestuário e confecções. Em 2008 a participação do setor industrial no Produto Interno Bruto de Santarém foi de 14%.

Comércio

As atividades comerciais de Santarém realizam-se em dois sentidos, através da importação de insumos e produtos industrializados no centro-sul do país e do mercado regional (Belém, Manaus e Macapá) e através da circulação e comercialização da produção local, que atende o mercado interno e o regional.

O segmento das micro e pequenas empresas comerciais, conforme dados da Receita Federal, de março de 2006, somam 3.605 unidades de um total de 6.444 empresas e instuições cadastradas no CNPJ em Santarém; (indústria, comércio, serviço, órgãos públicos, cooperativas, organizações sociais etc.), sendo que 3.291 estão na ativa.

Comercio, foto Ari vicente

De acordo com pesquisa realizada em 2008 pelo CEAMA, os estabelecimentos do comércio varejista em Santarém totalizaram 3.550 mercearias, 12 grandes supermercados, 214 kit boz e 85 mini box. No ramo atacadista existem 212 estavelecimentos.

O segmento de comércio e serviços registrou o maior saldo de empregos na economia local de acordo conforme os dados do cadastro geral de empregados e desempregados do Ministério do Trabalho. O comércio foi o que gerou mais empregos em 2009, com resultado de 3.562 contratações. No entanto, nesse mesmo ano, 3.644 trabalhadores foram desligados, apresentando variação negativa no saldo de empregos, o mesmo acontecendo com setor de serviços. Em 2008 o segmento serviços abriu 2.643 postos de trabalho e em 2009 esse valor foi reduzido para 1.913.

A construção civil se destacou com a abertura 1.356 vagas em 2008, não teve desempenho positivo em 2009 com apenas 863 novos empregos e desligamentos de 1.103 postos de trabalho, com variação negativa de 13,33%. O setor agropecuário fechou 2009 com saldo positivo de 3,62%, gerando 268 empregos segundo as estatísticas de emprego CAGED.

Em 2008 a SEPOF divulgou o PIB dos municípios do Pará em 2007, e Santarém ocupou o oitavo lugar, perdendo espaço em importância econômica para os municípios de Tucuruí, Ananindeua, Marabá e Parauapebas.

Turismo

Alter do Chão é a praia de água doce
mais bonita do mundo segundo o
jornal The Guardian.
Santarém apresenta um talento natural para o ecoturismo, o turismo de base comunitária, o turismo de praias, o turismo histórico e cultural, o turismo gastronômico, o turimo religioso e o turismo de aventura. Também apresenta grande potencial para desenvolver outros segmentos como o turismo de eventos e negócios.

Considerada oficialmente pelo Ministério do Turismo como uma cidade turística desde 1998, Santarém tem bons indicadores e qualidades para desenvolver os diversos segmentos do turismo destacando-se, suas belezas naturais com mais de 100 km de praias, cachoeiras, sítios arqueológicos, fauna, floresta, lagos, igarapés, trilhas, ilhas e o espetáculo do encontro das águas dos rios Amazonas e Tapajós (o rio mais azul do Brasil) em frente à cidade.

Também fazem parte do turismo santareno, o patrimônio histórico, as edificações seculares, a cerâmica tapajônica, as peças arqueológicas da cultura tapajônica dos povos tapaius. Os eventos culturais, tais como a festa do Sairé em Alter-do-Chão, o Círio de Nossa Senhora da Conceição, as festas religiosas, o teatro, a música, a poesia, a literatura, o folclore e etc.

Visão da orla
  Autoria de Ronaldo Ferreira
Também ajudou Santarém como uma grande cidade turística a inclusão desta, no seleto grupo dos 65 destinos indutores do turismo do Brasil, ser escolhido o município referência em ecoturismo pelo Ministério Público, ser selecionada em 2008 pela revista Pequenas Empresas Grandes Negócios, entre as 25 melhores cidades para empreender, a escolha de Alter-do-Chão como a melhor praia de água doce do mundo pelo jornal inglês The Guardian, o destaque da praia de Alter-do-Chão durante o Salão do Turismo na cidade de São Paulo em 2010, o destaque na mídia nacional como detentora do maior reservatório de água subterrânea do planeta, o Aquífero Alter do Chão, a reportagem da National Geographic em 2010 sobre as civilizações pré-coloniais na Amazônia que considera Santarém a cidade arqueológica mais antiga do Brasil.

Em 2009 Santarém foi incluída no Plano das Cidades Históricas do Brasil pelo Ministério da Cultura e Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. É rota dos turistas internacionais, que chegam em navios transatlânticos na Amazônia que ancora no Cais do Porto de Santarém. A culinária local, que fez Santarém ser incluída no seleto programa caminhos do sabor, que tem a finalidade de agregar valor turístico da gastronomia. A cognação de Santarém como futura capital do futuro estado do Tapajós, também ajudou no turismo. A oferta de infra-estrutura turística é representada pelos hotéis com boas condições de recepção e hospedagem, pousadas, aeroporto internacional, restaurantes, porto do calado para receber navios transatlânticos, agências de viagem, sistema de segurança pública, setor de comunicações, agências bancárias, lojas de artesanato, serviço de transporte, serviços e equipamentos de lazer e etc.

Além do desenvolvimento do turismo, o município de Santarém vive momentos de expectativas no contexto, cultural e político, o movimento em torno da criação do estado do Tapajós, a construção do Centro de Referências e Tradições Turísticas e Culturais do Tapajós, a implantação da Zona de Livre Comércio e de um Distrito Industrial, o astaltamento da BR-163, a instalação da ZPE, o ZEE da região oeste do Pará.

Subdivisões

Santarém divide-se em cinco zonas distritais na zona urbana: Grande Área da Aldeia, Grande Área da Prainha, Grande Área do Maicá, Grande Área da Nova República e Grande Área do Santarenzinho.

O distrito da Grande Área da Aldeia é o mais populoso, com 60 859 habitantes e também é o distrito mais importante, pois nele está localizado o centro, o Paraíso Shopping Center, o porto, a orla e outros locais muito frequentados pela população.

Bairros

Santarém possui 48 bairros na zona urbana e o mais populoso deles é o bairro Diamantino, que possui 9 825 habitantes e está localizado no Distrito da Grande Área da Prainha, o segundo maior distrito de Santarém.

Cultura



Esta cerâmica foi encontrada em Santarém, cidade na foz do rio Tapajós, no baixo Amazonas. Os produtores foram os Tapajós, que viveram na região aproximadamente 1000 a 1500 anos da nossa era. Objeto produzido em argila, chamado de cauxi, de grande resistência e dureza. Revelado grande domínio da técnica.

Em Santarém encontra-se a Cerâmica Tapajós, que está dividida em dois tipos de vasos: o de gargalo e o de cariátides. Esta cerâmica é uma das mais antigas e, de tão perfeita, chega a ser comparada até mesmo com a mais fina porcelana chinesa. É a segunda maior cidade do pará com quase 300 mil habitantes.

Existem peças da cerâmica Tapajós espalhadas por vários museus do mundo. Na cidade de Santarém encontra-se um pequeno legado dessas peças no Centro Cultural João Fona.

Museus
Museu João Fona

* Museu João Fona
* Museu do Índio
* Museu de Arte Sacra
* Museu Dica Frazão








Esporte
 



* Estádio Jáder Barbalho (Nome Atual: Colosso do Tapajós)

Pontos turísticos


Encontro das Águas - Rio Tapajós com Amazonas - Santarém
Encontro das águas - Na Amazônia, não são apenas o Amazonas e o rio Negro que promovem o espetáculo do encontro das águas. Quando o Tapajós deságua no Amazonas, suas águas não se misturam por um longo trecho e bem no centro de Santarém pode-se avistar as águas barrentas do Amazonas tentando engolir as águas azuis do rio Tapajós.
Coreto na praça matriz, foto Niani
 Uma das atividades econômicas de maior crescimento é o turismo, que tem como atrações as praias, cachoeiras, lagos, excursões ecológicas na mata e as numerosas tradições e festas folclóricas. São muito procurados pelos turistas os passeios de barco para acompanhar as linhas paralelas formadas pelas águas de cor marrom do Amazonas e as de verde-esmeralda do Tapajós até o ponto em que lentamente se misturam.

Santarém é conhecida como a Pérola do Tapajós. Em frente à cidade acontece o encontro das águas barrentas do rio Amazonas com as águas verdes do rio Tapajós.

É no município de Santarém que se localiza a vila de Alter-do-Chão, a aproximadamente 30 km da cidade.

Esporte

Na cidade de Santarém existem times de futebol como o São Raimundo Esporte Clube e o São Francisco Futebol Clube. Possui o Estádio Jáder Barbalho, mais conhecido por Barbalhão, Municipal de Santarém ou Colosso do Tapajós

São Raimundo Esporte Clube (Pará)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
São Raimundo

Escudo Sao Raimundo.jpg
Nome São Raimundo Esporte Clube (Pará)
Alcunhas Pantera Negra
Alvinegro Santareno
Time de Guerreiros
Maior do Tapajós
Torcedor/Adepto Alvinegro
Sãoraimundino
Mascote Pantera
Fundação 9 de janeiro de 1944 (70 anos)
Estádio Colosso do Tapajós
Capacidade 17.846 pessoas
Localização Santarém.PNG Santarém, Pará PA, Brasil Brasil
Presidente Brasil Alexandre Lopes
Treinador Brasil Filiba
Patrocinador Pará Y. Yamada
Pará Banpará
Pará Governo do Pará
Pará Prefeitura de Santarém
Material esportivo Brasil Super Bolla
Competição Pará Campeonato Paraense
Brasil Campeonato Brasileiro - Série D
Ranking nacional 194º lugar, 140 pontos


Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time

Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time

Uniforme
alternativo


São Raimundo Esporte Clube é uma agremiação esportiva da cidade de Santarém, no Estado do Pará, fundada a 9 de janeiro de 1944.

História

Precedentes

Com a decadência e desativação do Vasco da Gama, fundado em 1932, que teve como seu último presidente o sr. Odorico Reis de Almeida, surgiu em 1942 o Alegria Esporte Clube (uma alusão a Rua da Alegria), desarticulado no ano seguinte quando foi transformado em Santa Cruz Esporte Clube, de vida curta, e logo sucedido pelo São Raimundo Esporte Clube.

O jogo do Santa Cruz que entrou para a história

Domingo, 29.08.1943, à tarde, na comunidade de Igarapé Açu, atual São Braz, amistoso: São Braz 1x3 Santa Cruz(São Raimundo ?) - Árbitro Paulino Silva - 1x0 Gerson, 40; 2x0 Pé de Chumbo, 43/3x0 Nezinho, 30 e 3x1 João(SB), 45. Santa Cruz com Domingos Roque - Nonato e Moacir - Beci, Valdomiro e Pé de Chumbo- Valdemarino, Nezinho, Gerson, Valentim e Tapioca. Obs: Para este jogo o Santa Cruz fez a estréia de uma bola com câmara de ar. Até então treinava apenas com bolas de borracha, que ganhavam o apelido de “puruí”, pois logo ficavam "bicudas".

São Francisco Futebol Clube (Santarém)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
São Francisco (Santarém)

Escudo do São Francisco
Nome São Francisco Futebol Clube (Santarém)
Alcunhas Azulão do Norte
Leão Santareno
Gigante do Tapajós
Leão do Tapajós
Torcedor/Adepto Azulino
Mascote Leão
Fundação 30 de outubro de 1929 (85 anos)
Estádio Colosso do Tapajós
Capacidade 17.846
Localização Santarém.PNG Santarém, PA
Presidente Brasil Eddie Ribeiro
Treinador Brasil Joacir Moura
Patrocinador Pará Governo do Estado do Pará
Pará Banpará
Pará Prefeitura de Santarém
Pará Jefferson Eventos
Material esportivo Brasil Kanxa
Competição Pará Campeonato Paraense
Divisão 2012 Pará Campeonato Paraense (Taça ACLEP), 2º colocado
Pará Campeonato Paraense (Segunda fase, Taça Cidade de Belém), 6º colocado
Pará Campeonato Paraense (Segunda fase, Taça Estado do Pará), 4º colocado
(5º colocado na classificação geral)
Website saofranciscofc.com.br
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time

Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time

Uniforme
alternativo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time

Uniforme
alternativo

O São Francisco Futebol Clube é um clube brasileiro de futebol da cidade de Santarém, no estado do Pará.
Fundado no dia 30 de outubro de 1929, manda seus jogos no Estádio Colosso do Tapajós, com capacidade para 17.846 espectadores. Seu mascote é o leão e as suas cores são o azul e o branco.
Mantém uma rivalidade com o São Raimundo.

História

Desde quando o futebol foi introduzido em Santarém, diversas agremiações foram formadas destinadas à prática deste esporte, porém, nenhuma até hoje, conseguiu sobreviver tão longo período como o São Francisco Futebol Clube.
Para um clube que conquistou tantos títulos e solidificou-se como uma expressão autêntica do futebol regional, suas origens são até desconcertantes, surgindo da vontade de um grupo de jovens despidos de grandes pretensões, que desejavam apenas formar um time para jogar futebol, nunca imaginando que estavam contribuindo para a formação de um dos maiores clubes do Oeste Paraense – O São Francisco Futebol Clube.
Pelo ano de 1920 os dois clubes de maior sucesso na região eram o Santa Cruz e o União Sportiva da Congregação Mariana, oriundos das equipes do Paissandu e Tapajós. Pelos seus nomes já indicava se tratar de agremiações ligadas ao movimento religioso da Igreja Católica, fundado pelo sacerdote Frei Ambrósio Phillipsenburg, da ordem dos frades menores.
O “União Sportiva” era um time extremamente forte, capaz de dar combate ao seu grande e tradicional adversário da época, o Santa Cruz.
Entretanto o movimento jovem que colaborava com a equipe da União Sportiva, a cada dia crescia de atletas que queriam jogar no clube, motivou um grupo de jovens a formar uma nova equipe que realmente atendesse as necessidades e homenageasse o ilustre desportista Frei Ambrósio. A 30 de outubro de 1929, foi fundado o time do São Francisco, com o intuito de homenagear a escola fundada pelo grande incentivador do futebol Santareno da época, Frei Ambrósio. A fundação do clube de futebol São Francisco, foi o acontecimento do ano em Santarém e de modo marcante na história do esporte da região, pois a equipe recém formada agregava os melhores atletas da cidade.
Depois de muitos treinamentos no campinho da escola de mesmo nome, finalmente foi programado o primeiro jogo. Era a primeira apresentação do já bem montado e organizado time de futebol, que se chamava: São Francisco Sport Clube (primeiro nome do clube).
As primeiras cores do clube foram preto e branco, com listas horizontais; tal fato foi registrado na história, devido a falta de opção no comércio local, que não apresentava outras cores disponíveis para comercializar. Premidos pelas circunstâncias não houve preferência pelas cores. Usaram as disponíveis .
Em 1998, o São Francisco fez a sua melhor campanha no estadual, alcançando o 4º lugar, atrás de Remo, Paysandu e Vênus; a boa campanha garantiu o clube de Santarém para a disputa da 3ª Divisão Nacional, e com uma fantástica atuação, o Leão Santareno poderia seguir para a Fase Final, mas foi eliminado pelo São Raimundo/AM, após dois empates, em pleno Barbalhão, perdeu nos pênaltis e encerrou sua participação na 19ª colocação entre sessenta e cinco participantes.
Em 2000, ano que foi rebaixado para a 2ª Divisão Paraense, o São Francisco disputou sua última partida oficial. Desde então se restringiu a disputar campeonatos municipais. Manteve-se nesta situação até 2010, quando retomou as atividades para a disputa da 2ª Divisão, mas capitulou já na primeira fase, ficando na última posição do Grupo 3 e em sétimo lugar na classificação geral.

...

Eventos e datas comemorativas

Os dois maiores eventos culturais da cidade são a Festa do Sairé, realizada na Vila de Alter do Chão durante o mês de setembro, durando cerca de cinco dias. Nesta festa ocorre a Disputa dos Botos Tucuxi e Cor-de-rosa. No final do mês de novembro é realizado o Círio de Nossa Senhora da Conceição, padroeira da cidade, cuja festa se estende até o dia 8 de dezembro, acontecendo além da parte religiosa, o Arraial com atrações culturais e a Caminhada de Fé com Maria, saindo da Vila de Mojuí dos Campos, percorrendo 37 km até a Catedral de Santarém.

Festa do Çairé ou Sairé

A palavra Çairé origina-se dos dois termos Çai Erê, que significa “Salve! Tu o dizes”, que era usada pelos índios como forma de saudação. Entretanto, há uma controvérsia quanto à grafia da palavra Çairé.A palavra original era Sairé, mas a comunidade de Alter-do-Chão, achou por bem, ou talvez por associarem sua derivação à linguagem indígena, passaram denominar a festa com uma nova escrita: Çairé. Entretanto, como pode-se contatar não há na língua portuguesa nenhuma palavra que inicie-se com "ç" voltando a chamar a festa por seu nome original.

Originariamente, a Festa do Çairé era um baile indígena (puracê), cujos festejos, revelavam desde o primeiro século da colonização, já a influência das missões católicas. Era uma "corda em giro", ou melhor, uma espécie de dança de roda conduzida por um "arco", que era o motivo indígena desse préstito e festival, o centro geométrico de um animado puracê (baile). Tal arco era um semicírculo com diâmetro e raios todos assinalados em algodão, onde deles pendem fitas vermelhas. Era ornamentado ainda, com uma cruz forrada e enfeitada, revelando o símbolo católico que o jesuíta acrescentou ao outro símbolo pagão o qual, pela forma geométrica revelada, denotava sua origem em povos americanos de civilização mais avançada, quais os astecas e os incas. É um exemplo de como foi o missionário mestiçando a fé católica, através da dança e do canto, para catequizar o índio. Transformou-se portanto, em uma cerimônia religiosa e profana, onde entram nela a reza e a dança. Essa, consistia em passos curtos, como o de marcar passos dos soldados, com um movimento em que uma índia do centro servia de eixo sobre o qual girava o Çairé.

Santarém também tem outras belas praias como Porto Novo (próximo a Belterra), Pindobal, Cajutuba, Ponta de Pedras entre outras, além de igarapés com água gelada.

Santarém

Pérola do Tapajós





Santarém é a principal cidade do Oeste do Pará. Conhecida como “Pérola do Tapajós”, o município está localizado numa área com mais de 24 mil metros quadrados, distante 850 quilômetros de Belém e é uma das mais fortes potências turísticas do Estado do Pará.

Logo em frente à cidade é possível ver o primeiro de vários espetáculos da natureza na região: o encontro dos rios que não se misturam. De um lado o Amazonas, com suas águas barrentas e de outro, o Tapajós com as águas azul-esverdeadas.

Por causa das águas claras do Tapajós, o município tem 1.992 quilômetros de praias exóticas e primitivas que mais parecem mar. É o caso de Alter-do-Chão, conhecida como “Caribe Amazônico”. Lá é o palco da maior manifestação folclórica da região, o Çairé, que atrai turistas do mundo todo.

Nos meses que vão de março até agosto, algumas praias chegam a desaparecer, por causa da cheia dos rios, mas no resto do ano, ressurgem com areias brancas e finíssimas, algumas de fácil acesso, outras completamente isoladas. Entre as mais conhecidas estão: Alter-do-Chão, Ponta do Cururu, Ponta de Pedras, Jutuba, Caraparanaí, Pajuçara, Arariá, Maria José, Salvação e Maracanã.

Texto: Companhia Paraense de Turismo

Regiões Turísticas

* Tapajós - PA

Localização

O Município de Santarém pertence à Mesorregião do Baixo Amazonas e à Microrregião Santarém. Esta a 850 Km de Belém. Limita - se ao Norte com Óbidos, Alenquer e Monte Alegre a Leste Prainha e Uruará; ao Sul Altamira, Rurópolis e Aveiro e a Oeste Juruti.

Acesso

Por Água: Com embarcações de médio e grande porte, através do Rio Amazonas, com duração, aproximadamente, de 60 horas.

Por Terra: O acesso pode ser feito a partir de Belém, através das Rodovias Federal BR-316, Estaduais PA-140, PA-151, PA-256, PA-150, PA-263, BR-422, BR-230 (Transamazônica), BR-163 (Santarém - Cuiabá). O percurso pode ser realizado em 3 dias (no verão) ou 8 dias no inverno.

Por Ar: Vôos diários e diretos, com duração aproximada de 01 hora, em aviões do tipo Boeing 737, via Aeroporto Internacional de Belém ou em aeronaves Brasília, em vôos com escala.

Pedido deste Blog à Prefeita, Maria do Carmo Martins Lima, que pelo seu sobrenome, também carrega nas veias o sangue lusitano: - faça um esforço orçamental e mande reconstruir o Forte de Santarém! A destruição desse Forte, é mais uma vitória do separatismo perverso, que há mais de 500 anos planeja a destruição de nossa lusofonia. As gerações futuras, de alma luso brasileira ou não, saberão reconhecê-la...



Obs. Pedro Teixeira nasceu Cantanhede, distrito de Coimbra, porém, foi sepultado em Santarém de Portugal. 




Mat. em construção...

2 comentários:

Anônimo disse...

I love thıs country.. Kısses from Turkıye

ELIANA GAMA disse...

Minha terra SANTARÉM do meu coração, terra mimosa de paz, de sonhos e de amor....Lindo jardim, vivaz canteiro de um céu todo em flor...

Postar um comentário