...E ASSIM NASCEU BARRA DO PIRAI







CIDADE DE BARRA DO PIRAI

Fazenda do Ciclo do Café
Barra quer dizer foz de um rio, lugar onde um rio se lança em outro. E, como em Barra do Piraí o rio se lança no rio Paraíba do Sul, forma assim a foz do rio Piraí. Logo, como Barra do Piraí é uma cidade cortada por dois rios: o Paraíba do Sul e o Piraí, nada mais adequado do que o seu nome.

Durante o período colonial, a região onde se encontrava o município, ou seja, o Vale do Paraíba, era uma imensa floresta habitada por índios das tribos Xumetos, Pitas e Araris, que foram chamados pelos portugueses de Coroados, devido à forma do seu cabelo. Até hoje podemos observar nos nomes de nossos rios Paraíba e Piraí, no nome do Distrito de Ipiabas, da Serra do Ipiranga e da Fazenda Ibitira, a herança deixada pelos índios. Enquanto isso, nas Minas Gerais (atuais estados de Minas Gerais e Goiás) onde o ouro estava sendo explorado, trazia-se muita riqueza para aquela região.

Pousada Fazenda Ponte Alta
A ligação entre o Rio de Janeiro e a região das minas era feita por meio de trilhas no meio da mata: as estradas do ouro. Ao lado destas, outras menores foram abertas e algumas passavam próximas ao lugar onde hoje está Barra do Piraí e Valença (município vizinho ao nosso). Esses caminhos serviam para passagem das tropas de mulas, que por serem animais muito resistentes, faziam o transporte do ouro e, posteriormente, da produção do café, que saia de nossas lavouras para o Rio de Janeiro, trazendo na volta produtos para os habitantes das minas.

Somente após a independência, quando as minas de ouro decaíram, muitos mineiros e portugueses vieram se estabelecer nas margens do rio Paraíba e, assim, iniciaram a plantação do café. Começaram a surgir, então, as fazendas de café, que, para se formar, expulsaram os índios. Eles foram aldeados na então Conservatória do Rio Bonito (atual Conservatória do distrito de Valença). Daí por diante, várias cidades foram surgindo em torno da lavoura do café como Valença, Vassouras, Piraí, Barra do Piraí, entre outras.

Cabe ressaltar que, na época, o braço escravo era a mão-de-obra usada na produção cafeeira. E eram nas fazendas de nossa região que possuíam grandes senzalas, nas quais eles abrigavam os escravos negros, de vários grupos étnicos vindos da África.

A primeira notícia que temos de nosso município é de 1843, com a compra de um sítio na foz do rio Piraí, denominado Barra do Piraí, por Antônio Gonçalves de Moraes, também dono da fazenda São João da Prosperidade, em Ipiabas, hoje distrito de Barra do Piraí, que, na época, era onde se produzia o café. Cabe ainda ressaltar que tal fazenda guarda até os dias de hoje sua estrutura intacta, estando aberta à visitação e oferecendo um belo roteiro turístico.

Dez anos depois, o dono do sítio construiu uma ponte sobre o rio Piraí e, assim, teve início o povoado de São Benedito, em terras do município de Piraí, cidade vizinha a nossa. Já em 1864, com a chegada da estrada de ferro D. Pedro II, construída para levar a produção cafeeira do Vale do Paraíba para o Rio de Janeiro, o povoado de São Benedito recebeu um grande incentivo para seu desenvolvimento. Assim, o povoado cresceu e tornou-se o centro do comércio do café da região.

Estabelecimentos comerciais foram criados, armazéns de café recebiam o produto de várias cidades e, daqui, enviavam para o Rio de Janeiro. As tropas de mulas traziam o café de longas distâncias, agora para a cidade de Barra do Piraí, e muitas vezes era usada a navegação pelos rios, pois no rio Paraíba os barcos navegavam desde o Tombo do Paraíba (Cachoeira do Funil, em Resende) até Barra do Piraí, sendo o rio Piraí também navegável.

Com a construção dos ramais da estrada de ferro para São Paulo e Minas Gerais, diminuiu-se o movimento de exportação do café. Porém, Barra do Piraí continuou sendo um grande entroncamento ferroviário, onde os viajantes faziam baldeação e, muitas vezes, pernoitavam. Daí a existência de um Hotel da Estação, muito movimentado na época.

Em 1881, foi criada a estrada de ferro Santa Izabel do Rio Preto, depois chamada de estrada de ferro de Sapucay, Rede Sul Mineira e, finalmente, Rede Mineira de Viação, e construiu uma ponte sobre o rio Paraíba (a nossa ainda existente ponte metálica), para passagem dos trens e depois de pedestres.
No ano de 1879, foi criada a estrada de ferro Piraiense ligando o povoado de Barra do Piraí à sede do município que, na época, era Piraí. Com essas três estradas de ferro e um crescente comércio, Barra do Piraí passou a ser o centro econômico do Vale do Paraíba, porém, continuou como povoado, pertencendo a dois municípios. Somente em 1885 foi criada a freguesia de São Benedito de Barra do Piraí.

O povoado de Santana também prosperou com o auxílio do Barão do Rio Bonito, que construiu a igreja de Sant’Ana e o beco da Carioca e, apesar dos esforços que fez junto ao governador de D. Pedro II, não conseguiu a elevação da vila de Barra do Piraí a município, durante o período do Império, já que o poder dos políticos de Piraí e Valença não permitia, uma vez que as estradas de ferro davam muito lucro a esses municípios.


Catedral de Santana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Catedral de Sant'Anna - Barra do Piraí - RJ - Autor: Jorge Iório - 2006

A Catedral de Sant'Anna foi construída em 1881 pelo 3º Barão do Rio Bonito, José Pereira do Faro que foi líder do movimento que culminou, anos mais tarde, com a emancipação da freguesia de Barra do Piraí. A pedra fundamental foi lançada na presença do Imperador D. Pedro II do Brasil, quando visitou a freguesia da atual Barra do Piraí, a convite do próprio Barão, a fim que fosse inaugurada a capela provisória da mesma igreja, em 7 de agosto de 1864.
O Barão realizou seguidas viagens ao Rio de Janeiro, selecionando arquitetos, pintores e pedreiros estrangeiros para abrigá-los em suas propriedades em Barra do Piraí, sob a condição de trabalharem na construção da, então, igreja de Sant'Anna.
Seu lado externo é pintado de branco e a fachada frontal contém janelas e porta em formato de arco, com relógio circular localizado no frontão. Torre sineira em forma pontiaguda e desenhos em alto relevo na parede. O piso de tábua corrida e os bancos em formato de cadeiras presas umas às outras são originais.
Altar da Catedral de Sant'Anna - Autoria de Robson Gama - 1970
Toda a igreja é pintada a mão por importantes artistas do Império. Até a metade da parede, pinturas que lembram cortinas, na parte de cima, pinturas sacras, no teto, reprodução da imagem da Imaculada Conceição.
Foi elevada, oficialmente, à dignidade de "catedral" em 4 de dezembro de 1922, com a instalação da Diocese barrense em 26 de julho de 1923, pela Bula "Ad Supremum Apostolicae Sedis".
A catedral guarda ainda na sacristia um quadro a óleo de Victor Meirelles, retratando o 3º Barão do Rio Bonito, de propriedade da Mitra Diocesana. Possui dois lustres de cristal em forma de pingente. O altar-mor, todo folheado a ouro, com desenhos em alto relevo e boa luminosidade, apresenta a imagem antiga de Nossa Senhora de Santana, além de outras pequenas imagens.


Fazenda São Joaquim das Ipiabas

Localizada na Rodovia RJ-137, no distrito de Ipiabas, a Fazenda São Joaquim das Ipiabas foi uma das fazendas pioneiras da margem esquerda do rio Paraíba do Sul, fundada por volta de 1820, pelo capitão Joaquim José Pereira de Faro, mais tarde, primeiro barão do Rio Bonito. Conforme o referido documento do inventário, iniciado em 1854, a Fazenda São Joaquim das Ipiabas constava com as seguintes características: casa de vivenda com oratório para missas, botica e enfermaria, engenhos de serrar, secar e despolpar café movidos por água, moinho de fubá de milho, atafona para secar mamona, prensa para farinha de mandioca, terreiro de pedra, casa com tabuleiros para secar café despolpado, 249.000 pés de cafés e outras mais benfeitorias. Havia também tropas para transporte de cargas, gado e aproximadamente 240 escravos de ambos os sexos e variadas idades. Consta no livro “América Austral”, que traz uma coletânea de cartas, o relato de um viajante português, de nome Antônio Lopes Mendes, que visitou a fazenda em 1883, São Joaquim das Ipiabas possuía, nessa época, cerca de 500.000 pés de café, plantações de milho, feijão, arroz, tabaco, mandioca, cará, araruta e criação de porcos. Além de muitas árvores frutíferas, tais como laranjeiras, cajueiros, mangueiras, jaqueiras, pessegueiros e bananeiras. Atualmente está sendo restaurada.

O café trouxe grande riqueza para as cidades do Vale do Paraíba, porém essa riqueza durou poucos anos. O Vale a partir de 1830, entrou em decadência 40 anos depois. As grandes fazendas definharam e os fazendeiros empobreceram. Em 1888, quando foi abolida a escravidão, a maioria das fazendas já estava sendo entregue aos bancos aos quais os fazendeiros deviam muito dinheiro.

Na década de 70, as fazendas de café entraram em decadência e os municípios de Valença, Piraí, Vassouras, Resende, Três Rios e Paraíba do Sul sofreram muito com a decadência das fazendas, perdendo suas rendas. Barra do Piraí, porém, não sofreu muito com a decadência do café, por ser um entroncamento ferroviário importante.

Com a Proclamação da República e a mudança do poder político, Barra do Piraí foi elevada a município em 10 de março de 1890, tendo suas terras desmembradas dos municípios vizinhos. Da cidade de Valença, foi desmembrada a Vila de Sant’Ana, à margem esquerda do Paraíba. De Piraí, a próspera freguesia de Barra do Piraí, situada à margem direita do Paraíba. E de Vassouras, a Vila dos Mendes, que já possuía, nesta época, uma fábrica de papel (CIPEC) e fábrica de fósforos, além de fazendas.

Em 1890, Barra do Piraí possuía quatro mil habitantes. Como município, Barra do Piraí cresceu e tornou-se um centro comercial muito importante do Vale do Paraíba. As Ferrovias Central do Brasil; Rede Mineira de Viação; e Piraiense eram o meio de comunicação entre as cidades vizinhas e o centro econômico: Barra do Piraí. A Central do Brasil empregava um grande número de pessoas que moravam nos bairros do Carvão, Santo Cristo, etc.

Com isso, a Light instalou seus escritórios no município, dirigindo daqui suas atividades nos municípios vizinhos. Já em 1952 construiu uma barragem no rio Paraíba e uma usina elevatória, que, por meio de um túnel, leva as águas do Paraíba para um reservatório (no bairro Chalet, município de Piraí), onde se juntam com as águas do Piraí para gerar energia elétrica nas usinas de Fontes, em Piraí. A cidade possuía hotéis importantes como, por exemplo, o Hotel da Estação e o Hotel Antunes, onde os viajantes se hospedavam.

Havia grande rivalidade entre os dois antigos povoados que formaram Barra do Piraí. Por isso, desde quando foram fundados os clubes desportivos Royal (em Santana) e o Central (em São Benedito) foram rivais durante vários anos, sendo os jogos de futebol entre os dois clubes muito disputados.

A criação de bovinos substituiu o plantio do café nas propriedades rurais. E, a partir de 1946, passou a ser realizada uma Exposição Agropecuária Sul Fluminense, reunindo produtores de muitos municípios e que, muitas vezes, foi inaugurada com a presença de Presidentes da República, que se hospedavam nas antigas propriedades de café. Até os dias de hoje, são realizadas as Exposições Agropecuárias, sempre no início do mês de Julho e continuam por atrair uma multidão de visitantes para o município.

Foi criada a Casa do Viajante para reunir os “caixeiros viajantes”, que eram representantes das fábricas que vinham visitar as lojas e efetuar vendas.

A população cresceu, muitos imigrantes, vindos da Europa e do Oriente Médio, fugindo das guerras e procurando melhores condições de vida, aqui se estabeleceram e continuam até os dias de hoje compondo uma boa parcela do comércio local, tais como: portugueses, libaneses, italianos, suíços, alemães etc, criando lojas e indústrias em nosso município.

Vários fatores abalaram a liderança de Barra do Piraí no Vale do Paraíba como:
• A criação da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) e o crescimento da cidade de Volta Redonda;
• A construção da rodovia Presidente Dutra, fazendo com que o transporte para o Vale do Paraíba deixasse de ser apenas ferroviário, como até então;
• A extinção dos trens de passageiros feita pelo presidente Jânio Quadros em 1961.

Esse foi um duro golpe para o município, que viu seu comércio esvaziar-se pela falta dos trens, que traziam os compradores das cidades vizinhas. A Rua da Estação teve seu comércio diminuído e perdeu sua importância. Porém, Barra do Piraí ainda é um município importante para Vale do Paraíba.

Possui uma população de 90,5 mil habitantes (IBGE/CIDE – 2000); um comércio muito desenvolvido e variado; várias agências bancárias; indústrias grandes, médias e pequenas; e plena possibilidade de crescer. Além disso, possui energia elétrica; facilidade de abastecimento de gás natural; facilidade de transporte rodoviário e ferroviário, dada a sua ótima localização, uma vez que é próxima a estrada de rodagem BR393 (Lúcio Meira), que vai de Volta Redonda a Três Rios ligando a Presidente Dutra, ligando-se aos grandes centros: Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte.

Possuindo mão-de-obra qualificada, Barra do Piraí reúne as condições favoráveis para se tornar um grande centro industrial e de serviços. Sem falar no turismo natural e cultural, grande fonte de renda e de trabalho, e que vem se desenvolvendo e ganhando força em nosso município, principalmente com a adesão dos proprietários das antigas fazendas de café do município, algumas abertas à visitação, outras se tornando pousadas. Tais propriedades guardam traços importantíssimos do nosso passado histórico, retratando toda a beleza da volta ao passado. Com suas senzalas, algumas bem conservadas, dão uma visão bem real ao turista, que terá a oportunidade de visitar o museu do escravo e conhecer um bonito acervo dos tempos da escravidão.



(Texto extraído do Livro Pequeno Cidadão, conhecendo Barra do Piraí, de Célia Muniz e Bia Rothe)






Barra do Piraí

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
"A Pérola do Vale"
"A Venezinha Brasileira"

















Brasão de Barra do Piraí
Bandeira de Barra do Piraí









Aniversário: 10 de março
Fundação: 10 de março de 1890 (121 anos)
Gentílico: barrense

Prefeito(a): José Luiz Anchite (PP)(2009–2012)
Prefeito atual: - Jorge Babo       (PPS) (2013 - 2016)

http://3.bp.blogspot.com/-d-_JFklAx5Y/Tez3Zx7d3LI/AAAAAAAABDA/9ibwJXPhwj8/s1600/horto76-21demaiode2011.jpg
Prefeito anterior  José Luiz Anchite
Prefeito atual  Jorge Babo

 Localização de Barra do Piraí no Brasil
22° 28' 12" S 43° 49' 33" O22° 28' 12" S 43° 49' 33" O
Unidade federativa: Rio de Janeiro
Mesorregião: Sul Fluminense IBGE/2008
Microrregião: Barra do Piraí IBGE/2008
Municípios limítrofes: Piraí ao Sul; Valença ao Norte; Vassouras e Mendes a Leste; Volta Redonda, Barra Mansa e Pinheiral a Oeste
Distância até a capital: 100 km

Características geográficas
Área: 578,471 km²
População: 94 855 hab. Censo IBGE/2010
Densidade: 163,98 hab./km²
Altitude: 363 m
Clima: Tropical de Altitude Cwa
Fuso horário: UTC−3

Indicadores

IDH: 0,781 (RJ: 24º) – médio PNUD/2000
PIB: R$ 1 061 885,050 mil IBGE/2008
PIB per capita: R$ 10 361,17 IBGE/2008

Barra do Piraí é um município brasileiro do Estado do Rio de Janeiro. Localiza-se a uma latitude 22º28'12" sul e a uma longitude 43º49'32" oeste, estando a uma altitude de 363 metros. Sua população, segundo o Censo de 2010, é de 94.855 habitantes.

Dados Geográficos
Área: Possui uma área de 582,1 km².

Foz do rio Piraí
Localização Geográfica: Localizada no centro da região Sul Fluminense, fica a uma distância da cidade do Rio de Janeiro de aproximadamente 100 km. Faz fronteira com os municípios de Valença, Vassouras, Mendes, Piraí, Pinheiral, Volta Redonda e Barra Mansa. Barra do Piraí fica também a 28km de Conservatória, "capital da seresta e serenata" e a 15km de Ipiabas, situada exatamente no meio do trecho entre Barra do Piraí e Conservatória. Ipiabas, porém, é um distrito de Barra e Conservatória um distrito de Valença. Tanto Ipiabas como Conservatória, são distritos muito reflorestados, ao contrário de Barra do Piraí, sítio de pouco verde, mas muito rico em água.

Vista Aérea de Barra do Piraí
Distritos: Barra do Piraí é composta de 6 distritos: Barra do Piraí (sede), Ipiabas, Vargem Alegre, Dorândia, São José do Turvo, Califórnia da Barra.

Origem do nome: O nome do município é devido ao fato do rio Piraí desaguar no Rio Paraíba do Sul.

História

Estação Ferroviária de Barra do Piraí
O povoamento de Barra do Piraí teve início em terras de sesmarias doadas em 1761 e 1765 a Antônio Pinto de Miranda e Francisco Pernes Lisboa. Com área de uma légua em quadra, ficavam situadas nas margens direita e esquerda do rio Piraí, em sua confluência com o Paraíba do Sul. Os primeiros colonizadores foram membros das famílias Faro e Pereira da Silva. Grandes senhores de escravos, dedicaram-se à agricultura e, em pouco tempo, dominaram a região cafeeira, serra acima. Em 1853 as primitivas sesmarias ficaram interligadas pela ponte que o comendador Gonçalves Morais mandara construir. Perto dela levantou-se o Hotel Piraí, e mais tarde novas edificações. A esse tempo, na margem oposta do Paraíba, os comendadores João Pereira da Silva e José Pereira de Faro, futuro barão do Rio Bonito, erguiam o pequeno povoado de Santana. O rápido desenvolvimento do lugar, onde se realizavam grandes transações comerciais, propiciou a inauguração de uma estação da Estrada de Ferro Central do Brasil, a 7 de agosto de 1864. Em seguida iniciou-se a construção dos ramais mineiro e paulista.


Resumo - Divisão Administrativa

Decreto(s) ou Data Divisão administrativa

Decretos nº. 5019 de Fevereiro de 1890 e nº. 5910 de Março de 1890: Barra do Piraí, Dores do Pirahi , Turvo, Mendes e Vargem Alegre

Em 1911: Barra do Piraí, Dores do Piraí, Turvo, Mendes e Vargem Alegre

Em 1933: Barra do Piraí, Nossa Senhora das Dores do Piraí, São José do Turvo,
Mendes e Vargem Alegre

Decreto-lei estadual nº 392-A31 de Março de 1938: Barra do Piraí, Nossa Senhora das Dores, São José do Turvo, Mendes e Vargem Alegre

Decreto-lei nº 641: Barra do Piraí, Nossa Senhora das Dores, Turvo, Mendes e Vargem Alegre

Decreto-lei estadual nº 105631 de Dezembro de 1943: Barra do Piraí, Conservatória, Ipiabas, Mendes, São José do Turvo, Vargem Alegre e Dorândia (ex- Nossa Senhora das Dores)

Em 20 de Junho de 1947: O distrito de Conservatória é transferido para Valença.

Lei estadual nº 155911 de Julho de 1952: Desmembra-se Mendes (elevada a município).

Em 1 de Julho de 1960: Barra do Piraí, Dorândia, Ipiabas, São José do Turvo e Vargem Alegre

Hoje em dia: Barra do Piraí, Califórnia da Barra, Dorândia, Ipiabas, São José do Turvo e Vargem Alegre

Dados Políticos

Foi a primeira cidade emancipada no regime republicano. Sua emancipação deu-se em 10 de março de 1890 e seu emancipador foi José Pereira de Faro, o Terceiro Barão do Rio Bonito.

Calendário Oficial
Data do Evento ---------------------------- Evento

10 de Março de 1890 ------ Data da emancipação de Barra do Piraí
26 de Julho --------------------- Dia da Padroeira da cidade: Nossa Senhora Santana

Transportes

Rodoviário

Barra do Piraí é cortado pela Rodovia Lúcio Meira (BR-393), a Antiga Rio-Bahia e tem ligação com a Rodovia Presidente Dutra por meio da RJ-145.

Em junho de 2008 algumas empresas associadas ao Sindpass, colocaram à disposição dos usuários de transporte coletivo o sistema de bilhetagem eletrônica, com previsão de extinguir á longo prazo o vale-transporte de papel.

Ferroviário

Barra do Piraí orgulha-se de ter sido o maior entroncamento ferroviário da América Latina, dando acesso ao Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte. Por suas terras passavam duas importantes linhas ferroviárias: a Estrada de Ferro Central do Brasil e a Rede Mineira de Viação. Atualmente a malha ferroviária é concessão da MRS Logística. O uso atualmente é para o transporte de minério e carga. A Rede Mineira de Viação é extinta e atualmente aonde passava a ferrovia existem casas, não restando nada do que outrora foi a Rede Mineira.

Até o ano de 1996 a Central operava a Linha Barrinha, que ligava Japeri e Barra do Piraí e passava pelas estações: Mário Belo, Engenheiro Gurgel, Palmeira da Serra, Paulo de Frontin, Humberto Antunes, Mendes, Martins Costa, Morsing e Santana da Barra.

Aeroviário

Barra do Piraí não possui aeroportos. A única pista de pouso existente pertence ao Hotel Fazenda Ribeirão, uma pista com dimensões de seiscentos metros por dezoito metros, com piso de grama. O município é beneficiado com a futura construção do Aeroporto Regional do Vale do Aço na região que compreende os municípios vizinhos de Piraí e Volta Redonda.

Economia

Vista aérea do Rio Paraíba, Ponte do Royal
e parte do Centro
Principais atividades: agricultura, indústrias metal-mecânicas e pecuária.
O município possui atualmente 303 indústrias e 2621 empresas instaladas, dentre as quais destaca-se a Casa do Arroz como maior empregador de salário mínimo da cidade. A economia da cidade baseia-se também no comércio, onde estão presentes várias empresas de renome nacional como: Casas Bahia, Ponto Frio, Lojas Cem. Depois de longo período abandonado o galpão da CASERJ na BR-393 vai abrigar em seus 4050 metros quadrados o CONDEBAP (Condomínio Empresarial de Barra do Piraí), o galpão foi cedido em 25 de junho de 2008 pelo governo do Estado á Prefeitura Municipal de Barra do Piraí. As principais indústrias presentes na cidade são:

  • Metalúrgica Barra do Piraí(MBP)
  • BR Metals
  • Usinas Itamaraty
  • Maüser
  • Entre outras…

Praça Nilo Peçanha
Nas décadas de 70 e 80, Barra do Piraí viveu momentos áureos em sua economia com o crescimento da indústria alimentícia (Belprato). Mas a liderança econômica de Barra do Piraí foi abalada mesmo pelos seguintes fatores:

* A criação da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) e o crescimento da cidade de Volta Redonda. Embora, muitos barrenses, conseguissem emprego nesta cidade, que fica a 40km de Barra do Piraí.
* A construção da Rodovia Presidente Dutra, fazendo com que o transporte para o Vale do Paraíba deixasse de ser apenas ferroviário, como era até então.
* A extinção dos trens de passageiros feita pelo presidente Jânio Quadros em 1961.

Saúde

Principais hospitais da rede pública:

* Casa de Caridade Santa Rita de Cássia (Santa Casa), atualmente em sérias dificuldades materiais, sendo de louvar, entretanto, a abnegação de seus funcionários, cujo espírito de fraternidade vai além dos limites...
* Hospital Maternidade Maria de Nazaré, (Hospital da Mãe Pobre) uma instituição não oficial, mas também com sérios problemas financeiros.
* Cruz Vermelha Brasileira - Filial Barra do Piraí



* Casa de Saúde e Maternidade São Vicente de Paula

Barra do Piraí conta ainda com diversas clínicas e consultórios particulares, destacando-se entre elas, a Clínica dr. Antônio Francisco.

Educação



O Centro Universitário Geraldo di Biasi (UGB) é umas das instituições de ensino superior da cidade, apresenta uma ampla variedade de cursos como: Biomedicina, Educação Física, Engenharia Civil, Engenharia de Produção, Engenharia Mecânica, Administração, Letras, Gestão Ambiental, Gestão em Logística, Gestão em Recursos Humanos, Gestão em Turismo, História, Ciências Biológicas, Ciências Contábeis, Artes (Teatro e Artes Visuais), Computação, Enfermagem, Matemática, Pedagogia e Serviço Social.

Há também no município uma unidade do CEDERJ, sendo essa semi-presencial, que oferece os cursos de pedagogia e tecnologia de sistemas de computação, creditados pela UFF, UFRJ, UNIRIO, entre outras.

Segurança pública e defesa civil

Polícia Militar

O policiamento ostensivo da cidade está a cargo da 1ª Companhia do 10º Batalhão de Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (10º BPM/1ªCia), com sede no Centro da cidade, contando Barra do Piraí, ainda, com cinco Destacamentos de Policiamento Ostensivo, em seus distritos de Ipiabas, Califórnia, São José do Turvo, Dorândia e Vargem Alegre.

Polícia Civil

A Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro mantém no município a 10ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (10ª CRPI) e a 88ª Delegacia Policial (88ª DP), subordinada àquela coordenadoria.

Guarda e Defesa Civil Municipais

A prefeitura também possui uma equipe de Defesa Civil, para monitoramento e auxílio da população em caso de desastres naturais, bem como mantém uma Guarda Municipal, responsável pela vigia do patrimônio público e organização do trânsito na cidade.

Corpo de Bombeiros Militar

O município é assistido pelo 1º Destacamento do 22º Grupamento (22ºGBM/1º DBM) do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro.

Turismo



Hotel Fazenda Arvoredo
Barra do Piraí faz parte da região Vale do Ciclo do Café. Tendo como principais eventos:

* Circuito de Outono: Café, Cachaça e Chorinho;
* Festival Vale do Café;
* Exposição Agropecuária de Barra do Piraí.

Fazenda Ponte Alta: Propriedade preserva arquitetura e costumes -
Fazenda Ponte Alta: Propriedade preserva arquitetura e costumes
 Foto: Plínio Bordin - Embratur

Os principais pontos turísticos da cidade são:

* Beco da Carioca
* Esquina do pecado
* Catedral de Santana
* Igreja São Benedito
* Igreja Santo Cristo dos Milagres
* Chaminé da Rede Ferroviária
* Casa da Princesa
* Aldeia das Águas Resort (antigo Águas Quentes)
* Ponte Presidente Getúlio Vargas (Ponte Metálica)
* Santuário da Concórdia
* Cachoeira de Ipiabas
* Rio Piraí e Rio Paraíba do Sul
* Fazendas históricas da época do Café
* e os ateliers de artesanato.

Polo Audiovisual

O Polo Audiovisual de Barra do Piraí é uma estratégia da Prefeitura Municipal, através da qual cria uma política pública de desenvolvimento baseada na economia criativa. Tem como objetivo transformar Barra do Piraí na Cidade do Audiovisual e, dentre suas ações, busca atrair produções audiovisuais para a cidade, qualificar mão de obra, formar platéia e gerar conhecimento.
Barra do Piraí foi o primeiro município do estado do Rio a assinar com a Filme Rio - Rio Film Commission (FR-RFC), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Cultura (SEC), um acordo cujo objetivo é estabelecer uma articulação e cooperação entre o Governo do Estado e os municípios, de modo a promover e estimular produções audiovisuais nacionais e estrangeiras no Rio de Janeiro por meio do Acordo de Cooperação Técnica, a FR-RFC apoiará o município na criação das condições necessárias para atrair produções audiovisuais, como filmes, documentários, animações 2D e 3D, séries de televisão e comerciais. O Acordo foi assinado em 1º de junho de 2010 no Rio de Janeiro.

O município possui 3 emissoras de rádio

* Rádio Barra do Piraí AM
* RBP FM
* Rádio Califórnia FM
 
 FestCine Barra Do Piraí
  https://www.facebook.com/festcinebp




Personalidades

* Centro Cultural Luso Brasileiro do Brasil (cclbdobrasil.blogspot.com)
* Sebastião Lasneau, Poeta
* Ítalo Zappa, Embaixador do Brasil
* Ovídio de Andrade Melo, Embaixador do Brasil
* Franz de Castro Holzwarth, Advogado e Servo de Deus
* Batata, Futebolista
* Lúcio de Mendonça, Escritor, Fundador da Academia Brasileira de Letras e Ministro do STF
* Olavo Costa(1901-1967), Empresário. Pessoa importante na política. Deputado Federal.Prefeito de Juiz de Fora entre 1951-1955
* Álvaro Rocha Pereira da Silva, Promotor de Justiça, vereador, presidente da câmara e deputado federal.
* José Pereira de Faro, Terceiro Barão do Rio Bonito e fundador da cidade.
* Nilo Chagas, Cantor, integrante do Trio de Ouro junto a Dalva de Oliveira e Herivelto Martins.
* Paulo Valentim, grande futebolista brasileiro, ex Botafogo, ex Boca Júniores e ex seleção brasileira, que acabou morrendo na pobreza.
* Ramires Santos do Nascimento, ex futebolista do Benfica de Portugal e atual Chelsea Football Club (ING) e da Seleção Brasileira de Futebol.
* Miretta Baronto e Souza, grande Educadora brasileira,
* José Gonçalves de Oliveira Roxo, Primeiro e único Barão da Guanabara
* Mauro Nazif Rasul, Político brasileiro

Literatura recomendada
* Pequeno Cidadão, conhecendo Barra do Piraí. Autores: Célia Muniz e Bia Rothe.
* Terceiro Barão do Rio Bonito. Obra inédita. Autores: Leoni Iório (o mesmo autor de "Valença de Ontem e de Hoje"), 1953; e Jorge Luiz Dutra Iório (ampliação e atualização 2004-2008). Lançamento da 1ª edição em 26 de julho de 2008.
* Igreja de São Benedito - 60 anos de Sagração - Fragmentos de sua história. Autor: Venício Camerano
* Barra do Piraí. Autor: Gilson Baumgratz , editado pelo Jornal Centro-Sul em 1983.
* Barra do Piraí - Antiga e Média. Autor: Gilson Baumgratz, editado pelo Jornal Centro-Sul em 1980.
* Degradação Ambiental. Autor: Nilson Jorge de Lima, editado pela Revista Ciência Jurídica (RCJ) Belo Horizonte - MG em 1994.
* Lixo: Coleta Seletiva e Reciclagem. Autor: Nilson Jorge de Lima, editado em Belo Horizonte - MG em 1997.

Clubes

Royal Sport Club
Central Sport Club
Barra Tênis Clube
América Futebol Clube

Sociedade Euterpe Comercial

A Sociedade Euterpe Comercial foi fundada em 19 de maio de 1900 por iniciativa de um grupo liderado pelo maestro Pedro José de Toledo e é considerada a associação mais antiga de Barra do Piraí. São 32 integrantes vindos da escola de música mantida pela sociedade. Foi reconhecida como Entidade de Utilidade Pública em 1935 e recebeu o título e medalha de Patrimônio Cultural Fluminense. A Banda mantém também uma Escola Livre de Música (não dá aula para crianças) e uma oficina permanente de manutenção e reparos em instrumentos de sopro.

Serviço

Endereço: Rua Major Ferraz, 171, Centro, Barra do Piraí - RJ
Telefone: (24) 2442-0513




O Projeto Banda Nossa reuniu as três bandas de música de Barra do Piraí (Euterpe, Moreira Lopes e União dos Artistas) para apresentações de clássicos, ´música pop e músicas marciais. A apresentação deste video aconteceu no Central Sport Clube na noite de 15 de julho de 2010.

Folia de Reis




Jorge Pedroso Lima 
1 de fevereiro


Aos queridos amigos do Facebook, venho pedir o apoio para o novo prefeito de nossa querida Barra do Piraí, perante a enxurrada de boatos, inclusive com ofensas à dignidade de sua família, com o intuíto de inviabilizar o seu programa de governo, que irá transformar nossa cidade numa das mais modernas e progressistas do Brasil. Senão vejamos alguns ítens de seu programa de governo, que estão gerando toda esta guerra : a) construção até maio ou junho de um centro administrativo, que irá economizar para os cofres da Prefeitura, o equivalente a hum milhão, seiscentos e sessenta e dois mil reais ao ano, pagos com aluguel de imóveis para os diversos serviços da prefeitura. b) instituição do bilhete único para os usuários do serviço de ônibus e mudança dos pontos terminais para os bairros em vez de estacionarem na cidade. c) construção de uma nova rodoviária fora do centro da mesma, como acontece em quase todas as cidades do Brasil. Uma rodoviária intermunicipal e interestadual, que além de gerar muitos empregos para os barrenses e facilitar seu deslocamento para outros pontos de nosso estado e nosso país, irá iniciar o alargamento do progresso desta cidade, há tantos anos parada por um progresso concentrado no seu centro, beneficiando apenas algumas pessoas abastadas, que se acham donos da mesma!!! Por tudo isso é que vos peço um pouco de paciência, pois só com o novo orçamento, agora equilibrado, além é claro do apoio do governo estadual e da maioria do povo que o elegeu com 10.000 votos de diferença sobre o 2º colocado, será possível levar avante esta transformação! Creio ter explicado aqui um pouco dos motivos desta guerra de boatos e ofensas pessoais, que pessoas que se acham formadoras de opinião pública, tão precocemente, lançaram contra um jovem, que herdou uma cidade quase destruída por essas mesmas pessoas, que agora em apenas 120 dias, fazem essas cobranças absurdas e ainda pregam a renúncia fiscal para que ele não possa realizar seus planos de governo, quando o certo seria aguardar pelo menos um ano para avaliar seu trabalho à frente dos destinos de nossa outrora venezinha brasileira! O que estão fazendo com esta guerra de boatos é um grande mal ao desenvolvimento de nossa cidade e um desrespeito à inteligência dos barrenses, que ainda, em sua maioria, acredita nos planos do novo governo o qual elegeu por disparada maioria de votos...
Em toda esta guerra de mentiras, fica-me uma dúvida.
Será tudo isto desespero? Maldade? Ou ignorância política?
O tempo dirá...
Abraços para todos, mesmo para os difamadores, pois não tenho capacidade para julgá-los e meu sentimento também não é de revanchismo ou ódio, mas de pena, pois eles não sabem o que fazem...


video


Recordando o Carnaval Barrense

O primeiro baile de carnaval de Barra do Piraí foi no dia 18 de março de 1890 no Teatro Michola na rua da estação e no carnaval de rua, além dos pula pula embalados pelas músicas, havia também uma guerra de tomates,frutas podres perfumes lançados por um ejetor feito de gomos de bambu com um furo, que os foliões bagunceiros passaram a usar nas brigas de rua, que eram contidas por dois ou três policiais existentes naquela época. Já em 25 de junho de 1955, foi fundado o Bloco carnavalesco Sereno no cabaré da Ilha Joaquim Duarte com uma turma de boêmios liderado pelo João Bosco Sene da Silveira, (João boa Pinta) bloco este que deu muitas alegrias aos barrenses nos carnavais da cidade com apresentações de vedetes do Rio de Janeiro como Virgina Lane entre outras.

Postado por Portal Eletrônico Dirinho

 
Central  Sport  Club 93 anos

Neste dia 1º de Janeiro  de 2015 o Vermelho e Branco de Barra do Piraí, estará comemorando  mais um aniversário de sua  fundação. O Central foi  formado pelos  trabalhadores da Estrada de Ferro Central do Brasil que vieram  do Rio de Janeiro e  Minas Gerais  juntamente com alguns barrenses e, que nas horas vagas se juntavam num amplo terreno a beira do Rio Piraí  do outro lado do  Depósito da EFCB, para seus momentos de lazer com o tradicional bate bola. Assim foram sendo formados  os times entre os grupos de  cada repartição da Ferrovia ,  competindo entre eles . Na cidade já existiam  outros  como  o Araújo Futebol Club, time da elite da cidade,os tricolores, que tratavam os ferroviários de graxeiros . Sentindo –se menosprezados se uniram e fundaram este grandioso  Central Sport Club no dia 1º de Janeiro de 1921. E o  seu  primeiro jogo  “ Graxeiros -  Central  Rubro X Almofadinhas tricolores, foi realizado  no Campo de Futebol do Araújo que era onde hoje  está localizado o Tiro de  Guerra, na quadra entre  as ruas  Ovídio de Mello e Luiz Teixeira Neto  da Rua  Barão do Rio Bonito.Ali  os almofadinhas foram derrotados  por 2x1  com gols de Luiz Leite e Pijolo.  O Central é hoje o clube de mais popularidade da cidade e o que tem o maior numero de associados com  seu estádio na Rua João Pessoa  bem Iluminado, quadras de  várias modalidades esportivas, piscinas, amplo salão de festas . Sempre promoveu grandes  eventos para os  associados com grandes atrações . O maior  deles foi  a apresentação de Johnny  Mathis e outros grandes cantores como Jair Rodrigues,Clara Nunes Eliana Pittman,  entre outros  famosos. As desavenças ficaram no passado. No sábado 27,  na Choperia do Royal , no encerramento do ano de 2015, o presidente do Royal  Cici, agradeceu aos presentes desejando-lhes feliz ano novo e com estamos em época de confraternização o diretor social do Central S.Clube Bebeto pegou o microfone  para desejar, em nome do Central, o mesmo para o Royal e royalinos.











Dona Nylta deixa saudade


Foi sepultada em Barra do Piraí,neste dia 11 de dezembro de 2014,dona Nylta  Brito de Carvalho uma dama de pequena estatura mas de grande coração. Durante sua vida, além de dedicar-se a Indústria  metalúrgica Barra do Piraí, junto com seu marido, dava  assistência aos problemas sociais da cidade.




Um amigo que se foi

Neste dia 3 de dezembro de 2014, estaria fazendo 82 anos de vida Walter Gomes Mariotini, um dos mais queridos prefeitos de Barra do Piraí. Na sua segunda eleição teve mais votos do que todos os outros candidatos juntos. Mariotini Morreu em 1983 aos 62 anos e teve grande presença de amigos e admiradores no seu sepultamento.Foi o maior funeral do sul do Fluminense de todos os tempos, com mais de 25 mil pessoas. Esta é uma lembrança do amigo Odir Gonzaga de Moura.






Fotos da peça teatral no BTC Relembrando
 






 Futebol-Ramires é o Rambo na Inglaterra

O jogador Ramires, que hoje brilha no futebol europeu, era um garoto pobre  que vivia com seu irmão Maicon e quando estava com a enxada e a pá fazendo massa como servente, com seus 15 anos,  sonhava em ser jogador de futebol. Deu seus primeiros passos para a realização do mesmo no campo do America lá no Bairro da Muqueca em Barra do Pirai .  Saiu de  lá para jogar no Royal S. Clube, onde se tornou um profissional  e hoje é um ídolo do Chelsea com o apelido de Rambo, aquele personagem corajoso lutador do filme. Ramires de fato foi um lutador, queria vencer para ter um teto melhor para morar e venceu. "Agora eu tenho a seleção como meu teto. para mim não tem coisa mais importante do que jogar pela Seleção e ter chegado no auge da carreira". "No Brasil o jogador  tem mais moral. é mais conhecido do que o presidente". Ramires começou nesta carreira com o apelido de Pernalonga e hoje é considerado na Inglaterra com  o   mais rápido.jogador de futebol.



Ramires sendo homenageado pelo presidente do Royal Moacir e sua esposa Marileis, quando de sua visita ao clube recentemente

Barra do Piraí - Aviões cagando na Barra

O preço da evolução

Barra do Pirai vem sendo poluída desde 1761, quando seus mandatários começaram a desbravar suas terras para o plantio do café,  colocando barcos nos rios Pirai e Paraíba para transportarem seus produtos. Depois vieram as locomotivas, os automotores e agora os aviões que infestam  nosso espaço aéreo pois aqui foi  posicionada uma torre de controle de  trafego  da aviação civil para o Rio de Janeiro. Depois destas máquinas poluidoras  Barra do Pirai virou o centro de descarga de poluentes dos aviões que passam nesta  região que abrange o Sul de Minas, Zona da Mata Mineira, Norte de São Paulo e todo o Sul Fluminense  formando riscos e  estranhas nuvens infestando os ares, Só neste último dia 24/2 entre  16:30 e 17:50 passaram 9 aviões de grande porte sobre a cidade e no dia seguinte teve inicio a descargas de  gases (foto) as 7:30 da manhã. Quem terá responsabilidade pelo transtorno na saúde deste povo ? O barrense José Guilherme Ayres, foi muito feliz  em seu artigo publicado no Jornal Coreio Comercial com o : Não Sabemos o que fazer.                                   
  
Odir Gonzaga de Moura


 Barra do Pirai-126 anos

Com a aproximação dos festejos do aniversário de Barra do Piraí, o FOTODIREPORTAGENS, através do Jornal Caderno Especial, presta uma homenagem aos  músicos barrenses, recordando a Banda Moreira Lopes ( foto) então presidida pelo saudoso Isidoro Arvellos  no 10 de março de 1972, sendo aplaudida pelo então prefeito Walter Gomes Mariotoni e demais autoridades, no palanque armado na praça Nilo Peçanha.



Glostora e suas tiradas


Barra do Pirai - RJ
Eu tinha um amigo, apelidado de Glostora. Depois de formado em direito foi morar fora de nossa cidade pelo motivo de  continuamente sofrer de Bullyng. Ele deixou sua família e falou comigo, vou embora Odir de onde eu fui criado porque não aguento mais viver aqui. vou advogar fora e te digo Barra do Piraí  é o C´ do mundo. Vou com a  tristeza de deixar os  verdadeiros amigos, mas virei de vez em quando visitar  você e alguns outros  o que de fato de fato cumpriu a  até pouco antes de sua morte. Agora passados vários anos lembrei do que dizia o amigo hoje, durante caminhada  entre 5:30 as 6:30 da manhã.. Logo ao sair de casa próximo ao Posto  Amarelinho, deparei com um grupo de pessoas encostado num automóvel alegres e bebendo, mais na frente nas palmeiras um grupo maior entre homens e mulheres com garrafas e latinhas na mão, assim vou caminhando e vendo os acontecimentos em plena madrugada. Neste percurso que faço  vejo também a bonita Praça Nilo Peçanha, que coitada, parece que passa a noite sendo depredada pelos vândalos. Os monumentos com bustos de autoridades homenageadas e a própria bíblia sagrada já estão aos pedaços espalhados em cima do seu pedestal. Continuando minha trajetória cheguei a Praça Pedro Cunha e antes do prédio do Leque eu e uma senhora que estava em minha frente fomos obrigados a passar pela rua porque estavam em nosso caminho três mulheres bêbadas gritando palavrões e cambaleando de um lado ao outro. Já na ponte Getúlio Vargas, na estreita passagem para pedestres vinha um senhor com uma grande cesta que pelo cheiro era de salgados e  um galão de refresco. Ele parou assustado querendo atravessar para o outro lado e. me perguntou o que estava acontecendo lá perto do Mercado Municipal ? Respondi que era bagunça de bebedeira  e ele voltou as presas falando que estrava com medo de perder sua mercadoria. Fiquei triste com este fato. Agora vejam um velhinho que aparentava mais de 70 anos andando as pressas com medo dos desocupados, bêbedos, vândalos, e larápios que tiram a tranquilidade  de um povo numa pequena cidade do interior. Durante todo o tempo de caminhada não vi nenhum policiamento e nem veiculo rondando pela cidade,o que vi foram os veículos da Guarda Municipal estacionados lá no seu QG da Rua João Pessoa.  O Glostora tinha razão, piorou agora é o C´ e a bunda toda.


O CENTRO CULTURAL LUSO BRASILEIRO AGRADECE AO BLOG - FOTODIREREPORTAGENS A SUA COLABORAÇÃO NO APRIMORAMENTO
DESTA POSTAGEM ...E ASSIM NASCEU BARRA DO PIRAÍ.

Matéria em Construção...

0 comentários:

Postar um comentário